Logotipo - NOTIFICAÇÃO DE AGREGADO DE CASOS E SURTO EM SERVIÇOS DE SAÚDE
layout
 NOTIFICAÇÃO DE AGREGADO DE CASOS E SURTO EM SERVIÇOS DE SAÚDEFormulário | Altera Ficha |  Imprimir Formulário

 

NOTIFICAÇÃO DE AGRAVO INFECCIOSO RELACIONADO À MICRORGANISMO MULTIRRESISTENTE EM SERVIÇOS DE SAÚDE - PARANÁ

Os principais critérios utilizados para a priorização do AGRAVO INFECCIOSO DE INTERESSE NACIONAL são aqueles que apresentam grave repercussão em saúde pública, os eventos infecciosos inusitados ou imprevistos e o risco de propagação ou disseminação para mais de uma unidade federada. Entende-se por agravo infeccioso o caso (agregado de casos ou surto) causado por microrganismo adquirido após a admissão do paciente no serviço de saúde, que se manifeste durante a internação ou após a alta, sempre que puder ser relacionada com os procedimentos assistenciais ou com a internação; e, microrganismo multirresistente (MMR)  como agentes que são resistentes a várias classes de antimicrobianos.

A Resolução SESA/PR nº096/2018, em seu Artigo 2º, aponta que os MMR incluídos para notificação e investigação obrigatórias, seja de material clínico ou cultura de vigilância, são:

- Enterobactérias (Escherichia coli, Klebsiella spp, Enterobacter spp, Citrobacter spp, entre outras) resistentes à Polimixina B/Colistina (suspeita de MCR-1, conforme Comunicado de
Risco N° 01/2016 - SVS/CEVS/SESA-PR
);
- Bactérias não fermentadoras (Pseudomonas aeruginosa, Acinetobacter spp) resistentes à Polimixina B/Colistina;
- Enterobactérias (Escherichia coli, Klebsiella spp, Enterobacter spp, Citrobacter spp, entre outras) resistentes à Carbapenêmicos, com teste fenotípico positivo para metalobetalactamase
(suspeita de NDM, conforme Comunicado de Risco N° 001/2013 -GVIMS/GGTES-ANVISA);
- Staphylococcus aureus resistentes e/ou com resistência intermediária, à vancomicina (VRSA/VISA);
- Leveduras do gênero Candida spp com resultados em teste de triagem indicativos de Candida auris (conforme Nota Técnica N°01/2017 - CIEVS/CEVS/LACEN/ SVS/SESAPR);
- Isolados de microrganismos suspeitos de resistências emergentes ou não usuais.

As notificações destes MMR deverão ser registradas neste FORMSUS, em até 72 horas da sua identificação, seja caso suspeito ou confirmado.

 

ATENÇÃO:

1. Este formulário não se destina à notificação de  infecções relacionadas a medicamentos, produtos para a saúde, hemocomponentes, saneantes e cosméticos. Para estas notificações utilizar o link: http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm
2. Foram disponibilizados campos sobre o processo de investigação, que deverão ser atualizados semanalmente até o encerramento do caso.
3. Guarde o número de protocolo gerado automaticamente pelo sistema para manter as informações atualizadas.
4. É possível anexar arquivos ao formulário, como planilha contendo a curva epidêmica do evento e o relatório parcial ou final. Ao final da investigação deverá ser anexado o relatório de investigação.
5. O fluxo de encaminhamento dos isolados para o Laboratório Central do Estado (LACEN) encontra-se estabelecido na Resolução SESA/PR 096/2018, disponível no link: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/---_Resolucoes2018/96_18.pdf
6. Todas as amostras enviadas devem ser previamente cadastradas no GAL (Gerenciador de Ambiente Laboratorial).Caso o laboratório não possua cadastro no GAL deve acessar o link: www.lacen.saude.pr.gov.br/modules/liaise/?form_id=2 e solicitar uma senha, fornecendo o número do CNES da Instituição. É possível conseguir este número com uma consulta simples no Google. Dúvidas sobre o passo a passo para efetuar o cadastro da amostra no GAL, acessar o Manual do Usuário por meio do link: http://www.sgc.goias.gov.br/upload/arquivos/2013-08/gal_manual_maio_2001.pdf

 

* Preenchimento Obrigatório
Atenção: nos campos marcados com 'Visível ao público' não devem ser colocados dados de sua intimidade e privacidade.
Clique aqui em caso de dúvidas relativas a este formulário.
  IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 
1) NOME DO ESTABELECIMENTO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE (EAS): *
2) CÓDIGO CNES: *
3) ENDEREÇO DA INSTITUIÇÃO: *
4) Município: *
5) REGIONAL DE SAUDE: *
6) TELEFONE : *
7) Endereço eletrônico - email: *
8) Coordenador da CCIH/SCIH: *
9) Telefone da CCIH/SCIH: *
  Identificação do Agravo Infeccioso 
10) Tipo de ocorrência : *
11)  Microrganismo Multirresistente: *
Indicar (colonização/infecção) de microrganismo confirmado laboratorialmente
E. coli R Polimixina B/Colistina (suspeita de mcr-1)
Klebsiella spp R Polimixina B/Colistina (suspeita de mcr-1)
Enterobacter spp R Polimixina B/Colistina (suspeita de mcr-1)
Citrobacter spp R Polimixina B/Colistina (suspeita de mcr-1)
Outras Enterobactérias R Polimixina B/Colistina (suspeita de mcr-1)
P. aeruginosa R Polimixina B/Colistina
Acinetobacter spp R Polimixina B/Colistina
E. coli R carbapenêmicos - MPN/IPN (NDM)
Klebsiella spp R carbapenêmicos - MPN/IPN (NDM)
Enterobacter spp R carbapenêmicos - MPN/IPN (NDM)
Citrobacter spp R carbapenêmicos - MPN/IPN (NDM)
Outras Enterobactérias R carbapenêmicos - MPN/IPN (NDM)
S. aureus R ou I à Vancomicina (VRSA/VISA)
Leveduras do gênero Candida spp com resultados em teste de triagem indicativos de C. auris
Isolados de Microrganismos suspeitos de resistências emergentes ou não usuais
Microrganismo multirresistente (MMR) com característica endêmica ocorrido pela primeira vez no Estabelecimento de Assistência à Sáude (EAS)
13) Enviado amostra(s) para o LACEN para confirmação diagnóstica? *
Sim
Não
14) Metodologia utilizada na coleta de dados de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde(IRAS): *
Busca ativa
Busca Passiva
Busca Mista
15) Número de casos confirmados: *
Considera-se aquele confirmado laboratorialmente
16) Número de casos suspeitos: *
Não incluir os casos confirmados laboratorialmente
17) Número de óbitos: *
Número de óbitos totais ( suspeito + confirmado). Na ausência de óbitos, colocar 0(zero)
18) Principal unidade/setor acometido pelo evento: *
UTI adulto
UTI neonatal
UTI cardíaca
UTI pediátrica
UTI cirúrgica
Unidade de Atenção Obstétrica/Neonatal
Internação adulto
Internação Pediátrica
Pronto atendimento/ambulatório
UPA
Outro(a)
20) Semana Epidemiológica:
Semana epidemiológica em que foram indentificados os sinais/sintomas do caso indice
21) Descrição breve da situação atual do caso: *
  Dados de Identificação do Caso 
22) Data de identificação do caso: *
23) Trata-se do primeiro caso identificado (caso índice)? *
Sim
Não
24) Nome completo do(a) paciente: *
***CONFIDENCIAL***
25) Sexo: *
Feminino
Masculino
26) Data de Nascimento: *
27) Procedência: *
Local de onde veio o(a) paciente (Domicílio, UBS, UPA, Hospital, ILPI, etc ).Caso seja um Estabelecimento de Assistência ou de Interesse à Saúde acrescentar o nome (por exemplo: UPA Vista Alegre, ILPI Bom Pastor, UBS Cachoeira)
28) Muncípio/Estado da Procedência: *
(Por exemplo: Itajaí/SC, Ivaí-PR, Ourinhos/SP)
29) Data de Internação:
30) Situação atual do(a) paciente: *
Internado
Alta
Transferência
Óbito
  Desfecho da Investigação 
36) Classificação final da Investigação:
Ao final da Investigação, indique a conclusão
  Relatório de Investigação 
37) ANEXO:
  RESPONSAVEL PELO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO 
38) Origem do Notificador: *
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar/IRAS (CCIH)
Núcleo de Segurança do Paciente (NSP)
Coordenação Municipal de Controle de Infecção Hospitalar/IRAS (CMCIH)
Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar/IRAS (CECIH)
Centro de Informações e Estratégias de Vigilância em Saúde (CIEVS)
Laboratório de microbiologia
Profissional de saúde do serviço
Outro
40) Nome para contato: : *
41)  Telefone para contato: : *
42) E-mail do responsável pela notificação: : *
Gravar Gravar
Atenção: Ao gravar aguarde a tela de confirmação. Somente se aparecer a mensagem de confirmação seus dados terão sido gravados.
Clique aqui em caso de dúvidas relativas a este formulário.
Página 1 de 1
Logotipo FormSus