layoutLogotipo - RECADASTRAMENTO DAS COMISSÕES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - BRASIL - 2019
layout
 RECADASTRAMENTO DAS COMISSÕES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - BRASIL - 2019Formulário | Resultado | Busca Ficha | Altera Ficha |  Imprimir Formulário

RECADASTRAMENTO DAS COMISSÕES DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - BRASIL - 2019

 

CADASTRO DE CCIH

Desde 2010, a GVIMS/GGTES/Anvisa disponibiliza um formulário para o Cadastro das Comissões de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) dos serviços de saúde públicos, privados, civis e militares de todo o país. Em 2013, decidimos fazer um novo Recadastramento, em formulário nacional único, visto que muitas alterações ocorreram na estrutura dos serviços de saúde brasileiros nesse período. Esta atualização foi importante para que pudéssemos traçar um perfil mais fidedigno da organização das CCIH do Brasil e para que fosse possível a consolidação de uma rede de comunicação entre os controladores de infecção brasileiros. Com este novo Cadastro foi possível a criação uma mala direta com todas as instituições cadastradas o que possibilitou o envio de informações, alertas e comunicados em tempo real para todas as regiões do país.

Em 2019, iniciaremos um novo Cadastramento Nacional para todas as CCIH do Brasil (serviços de saúde públicos, privados, civis e militares) e aproveitaremos essa oportunidade para realizar uma avaliação nacional da implementação dos programas de prevenção e controle de infecção (PCI) dos serviços de saúde brasileiros utilizando uma ferramenta disponibilizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Esta ferramenta é utilizada por hospitais de todo o mundo e tem o objetivo de avaliar a estrutura para o desenvolvimento das ações para a prevenção e o controle das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) e resistência microbiana em serviços de saúde. 


Atenção: as instituições de todo o Brasil que realizam tratamento dialítico em pacientes devem preencher o Cadastro nacional para os serviços de Diálise: Segurança do Paciente e controle de Infecções Relacionadas a Assistência Saúde (IRAS):      http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=35074 

 

O QUE MUDOU NO CADASTRO DE CCIH?

O novo formulário apresenta questões gerais sobre o Serviço de Saúde, sobre a CCIH e disponibiliza um questionário estruturado com um sistema de pontuação associado, que possui o objetivo de avaliar as atividades e recursos existentes no PCI do serviço de saúde, de modo a identificar os pontos fortes e as lacunas que possam direcionar os planos futuros em seu município, estado/DF ou no Brasil. A ferramenta não se destina à comparação entre as instituições, já que os serviços de saúde apresentam porte, foco clínico e cenário socioeconômico diferentes.

 

O formulário de Recadastramento está estruturado conforme as recomendações das Diretrizes da OMS sobre os componentes essenciais para os programas de prevenção e controle de infecção e avalia o serviço de saúde em quatro níveis de promoção e práticas do PCI:

 

1. Inadequado (PONTUAÇÃO TOTAL DE 0 A 200): a implementação dos componentes principais do PCI é deficiente. É necessária uma melhoria significativa.

2. Básico (PONTUAÇÃO TOTAL DE 201 A 400): alguns aspectos dos componentes principais do PCI estão estabelecidos, mas não estão suficientemente implementados. Melhorias adicionais são necessárias.

3. Intermediário (PONTUAÇÃO TOTAL DE 401 A 600): a maioria dos aspectos dos componentes principais do PCI estão adequadamente implementados. O estabelecimento deve continuar a melhorar o escopo e a qualidade da implementação e se concentrar no desenvolvimento de planos de longo prazo para manter e promover ainda mais as atuais atividades do programa do PCI.

4. Avançado (PONTUAÇÃO TOTAL DE 601 A 800): os componentes principais do PCI estão totalmente implementados de acordo com as recomendações da OMS e apropriados às necessidades da instalação.

Os resultados obtidos pela instituição podem ser utilizados para desenvolver um plano de ação, fortalecendo medidas existentes e motivando o serviço de saúde a intensificar os esforços, quando necessário.

 

QUEM DEVE PREENCHER O CADASTRO?

 

Profissionais de saúde/equipes responsáveis pela organização e implementação das atividades do PCI no serviço de saúde, preferencialmente, integrantes da CCIH.

 


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO

 

1- No formulário, deve-se escolher apenas uma resposta por pergunta (pergunta marcada como "sim / não"; ou "escolha uma resposta").

2- Algumas perguntas foram projetadas permitindo múltiplas respostas. Estas questões são marcadas com a nota "assinalar todas as que se aplicam", o que permite escolher todas as respostas adequadas à sua instituição. Você deverá assinalar pelo menos uma resposta que se aplica ao seu serviço de saúde.

3- Cada questão possui uma pontuação correspondente. Essa pontuação foi atribuída levando-se em conta a importância da questão / resposta no contexto do componente principal respectivo.

4- Em cada uma das 8 seções do formulário (componentes centrais), uma pontuação máxima de 100 pontos poderá ser alcançada.

5- Depois de ter respondido todas as questões de cada seção do formulário (componentes centrais), a pontuação pode será calculada com o somatório de todos os pontos atribuídos às respostas assinaladas pelo serviço de saúde.

Ao somar as pontuações totais de todos os 8 componentes, o resultado geral será obtido e o serviço de saúde será qualificado quanto aos níveis de promoção e práticas do PCI citados anteriormente.


Resultado Geral: soma de todos os subtotais de cada um dos 8 componentes.

 

Informamos que os dados informados serão analisados de forma consolidada pela equipe da GVIMS/GGTES/Anvisa e pelas Coordenações Estaduais/Distrital de Controle de Infecção Hospitalar (CECIH) e nunca serão publicados individualmente. Desta forma, não é necessário que haja preocupação por parte dos serviços de saúde, pois os dados informados não serão divulgados com dados pessoais dos hospitais ou dos colaboradores que os preencheram.

Obs 1.: Orientamos o serviço de saúde a imprimir o formulário antes de começar a preenchê-lo, pois o mesmo é longo e algumas perguntas podem requerer consulta externa que subsidie as respostas. Além disso, pode ocorrer perda de conexão com o formulário por inatividade durante essas buscas.  

Obs 2.: O estabelecimento de saúde é responsável por manter os seus dados sempre atualizados. Para isso, guarde o CÓDIGO DE PROTOCOLO emitido automaticamente pelo sistema, após a gravação/envio do cadastro. Utilize o código exatamente como fornecido em Maiúsculas, Minúsculas, Símbolos e Pontos.

Obs 3.: Não é necessário o envio deste formulário impresso para a Anvisa ou para as Coordenações Estaduais/Distrital/Municipais de Controle de Infecção Hospitalar. Basta preencher atentamente todos os campos do formulário e clicar no botão GRAVAR para que todas as informações sejam enviadas automaticamente para o Banco de Dados Nacional na Anvisa.

  

Obs 4.: Esta ferramenta de avaliação possui parâmetros recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Sempre que um parâmetro indicado neste documento possuir um equivalente mais exigente de acordo com as normativas legais ou guias de recomendação brasileiros (nacionais, estaduais ou municipais) estes últimos devem prevalecer como parâmetro de referência para avaliação dos programas de prevenção e controle de infecções nos estabelecimentos de saúde no Brasil.

 

 

Formulário Adaptado: Infection Prevention and Control Assessment Framework (IPCAF), Organização Mundial da Saúde - OMS, 2018.


Atenciosamente, 

Gerência de Vigilância e Monitoramento em Serviços de Saúde - GVIMS
Gerência de Tecnologia em Serviços de Saúde - GGTES
Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa
gvims@anvisa.gov.br

* Preenchimento Obrigatório
Atenção: nos campos marcados com 'Visível ao público' não devem ser colocados dados de sua intimidade e privacidade.
Clique aqui em caso de dúvidas relativas a este formulário.
  Dados Institucionais 
 Estado: *
 Nome do Estabelecimento de Saúde : *
Informar o nome fantasia do estabelecimento de saúde
 Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde - CNES: *
Informar o número do CNES disponivel no site http://cnes.datasus.gov.br/ (consulta ou cadastro)
 CNPJ : *
Informe o número do CNPJ do serviço de saúde sem os caracateres (. ou /)
 Endereço: *
Informar o endereço completo do estabelecimento de saúde
 CEP : *
 E-mail para contato : *
Informar o email institucional para contato. (por exemplo: direcao@provedor.com.br)
 Telefone : *
Informar o número do telefone de contato do estabelecimento de saúde, com DD.
  Responsável Legal pelo Estabelecimento de Saúde  
 Dados do responsável legal pelo estabelecimento de saúde.
 Nome do responsável pelo Estabelecimento de Saúde:
 E-mail para contato: *
 Telefone : *
Informar o número do telefone de contato do estabelecimento de saúde, com DD.
 Telefone Celular: *
Informar o número do telefone celular de contato, com DD.
  Dados da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar - CCIH 
 Nome do presidente ou coordenador da CCIH: *
Informar o nome completo do presidente ou coordenador da CCIH do serviço de saúde.
 Formação acadêmica do Presidente ou coordenador: *
Médico
Enfermeiro
Farmacêutico
Outra
 E-mail do Coordenador/Presidente ou CCIH: *
 Telefone: *
Informar o número do telefone institucional de contato, com DD.
 Telefone celular: *
Informar o número do telefone celular do presidente ou coordenador da CCIH.
 Outros profissionais que atuam na CCIH:
Caso a CCIH não possua outros profissionais, selecionar "zero".
 Médico: *
 Enfermeiros: *
 Farmacêuticos: *
 Outros profissionais de nível superior: *
 Profissionais de nível médio: *
  Características do Estabelecimento de Saúde 
 Natureza Jurídica: *
Público
Privado
Sem fins lucrativos
 Realiza Cirurgias: *
Sim
Não
 Realiza parto cirúrgico (cesareana): *
SIM
NÃO
 Possui laboratório de microbiologia: *
 Número total de leitos do serviço de saúde: *
Informar o número total de leitos do serviço de saúde.
 UTI Adulto : *
Informar o número total de leitos de UTI Adulto (coronariana, queimados, geral, outras). Definição: atendem pacientes maiores de 14 ou 18 anos, de acordo com as rotinas hospitalares internas.
 UTI Pediátrica: *
Informar o número total de leitos de UTI Pediátrica. Definição: atendem pacientes de 28 dias a 14 ou 18 anos.
 UTI Neonatal : *
Informar o número total de leitos de UTI Neonatal. Definição: atendem pacientes admitidos com idade de 0 a 28 dias.
  Componente Essencial 1. Programa de Prevenção e Controle de Infecção 
 Sua instituição possui um Programa de Prevenção e controle de infecção? *
Os programas de prevenção e controle de infecção devem ter objetivos claramente definidos com base na epidemiologia e nas prioridades locais, de acordo com a avaliação de riscos, e definir funções e atividades que se alinham e contribuem para a prevenção de infecções relacionadas à assistência à saúde e resistência antimicrobiana nos estabelecimentos de saúde. Eles também devem incluir profissionais com carga horária dedicada à CCIH e treinados.
Não (0)
Sim, porém sem responsabilidade claramente definida (5)
Sim, com objetivos claramente definidos e um plano de trabalho anual (10)
 O Programa tem o suporte de uma equipe de CCIH composta por profissionais com formação específica em Prevenção e Controle de Infecção*? *
*Profissional da CCIH: equipe médica ou de enfermagem treinada e com certificado de curso de prevenção e controle de infecção.
Não (0)
Não uma equipe, somente uma pessoa (5)
Sim (10)
 A equipe da CCIH possui pelo menos um profissional de controle de infecção disponível em tempo integral ou dispõe de enfermeiro ou médico 100% no Programa de Controle de Infecção? *
Carga horária exclusiva na CCIH.
Nenhum profissional de controle de infecção disponível (0)
Não, profissional de controle de infecção disponível somente em uma parte do tempo. (2,5)
Sim, um por > 200 leitos (5)
Sim, um por ≤ 200 leitos (10)
 A equipe da CCIH ou o profissional responsável pelo Programa possuem tempo dedicado para as atividades do Programa de Controle de infecção? *
Não (0)
Sim (10)
 A equipe da CCIH inclui médicos e enfermeiros? *
Não (0)
Sim (10)
 A instituição possui um comitê* ou equivalente apoiando ativamente a equipe da CCIH? *
*Um comitê de CCIH é um grupo multidisciplinar com partes interessadas, que interage e aconselha a equipe da CCIH: Membros consultores. Referência: Portaria MS 2616/98.
Não (0)
Sim (10)
 Alguns dos seguintes grupos profissionais são representados / incluídos no comitê ou equivalente (membros consultores)?
 Alta liderança de instituições (por exemplo, diretor administrativo, diretor executivo [CEO], diretor médico). *
Não (0)
Sim (5)
 Equipe clínica sênior (por exemplo, coordenador médico, coordenador de enfermagem): *
Não (0)
Sim (2,5)
 Gestão de instalações (por exemplo, biossegurança, resíduos e tratamento de água, saneamento e higiene): *
Não (0)
Sim (2,5)
 A CCIH possui objetivos claramente definidos pelo Programa de prevenção e controle de infecção? *
Não (0)
Sim, somente os objetivos do Programa de controle de infecção (2,5)
Sim, objetivos do Programa de controle de infecção e indicadores de resultados mensuráveis (ou seja, medidas adequadas para melhoria) (5)
Sim, objetivos do Programa de controle de infecção e indicadores de resultados mensuráveis e metas futuras (10)
 As altas lideranças da Instituição mostram compromisso e apoio ao Programa?
 Existe um orçamento destinado especificamente para o Programa? *
(abrangendo atividades do programa de controle de infecção, incluindo salários)
Não (0)
Sim (5)
 Existe apoio visível para os objetivos e indicadores do Programa de Controle de Infecção? *
Por exemplo, em reuniões de nível executivo, visitas de executivos, participação em reuniões de morbidade e mortalidade
Não (0)
Sim (5)
 A instituição conta com o suporte de um laboratório de microbiologia (no mesmo local ou fora) para uso na rotina diária? : *
Não (0)
Sim, mas não disponibiliza os resultados de forma confiável (a tempo e de qualidade suficiente) (5)
Sim, e disponibiliza os resultados de forma confiável (a tempo e de qualidade suficiente) (10)
 Subtotal do Componente Essencial 1: Programa de Prevenção e Controle de Infecção: *
Pontuação máxima (100 pts)
  Componente Essencial 2. Programa de Prevenção e Controle de Infecção – Guias de recomendações 
 A instituição possui experiência (em prevenção e controle de infecção e / ou doenças infecciosas) para o desenvolvimento ou adaptação de guias de recomendações/diretrizes? *
Não (0)
Sim (7.5)
 A instituição possui diretrizes disponíveis para:
Não (0)
Sim (2,5)
  Precauções Padrão? *
  Higiene de mãos?*: *
*Inclui aspectos de melhoria das condições de trabalho, detecção de doenças ocupacionais, vigilância sanitária de trabalhadores, triagem pré-contratação e vacinação.
  Precauções baseadas no modo de transmissão? *
  Prevenção de Infecções de Sítio Cirúrgico? *
*Se nenhuma intervenção cirúrgica for realizada na sua instituição, escolha a resposta “Sim”.
  Preparação para resposta e manejo de surtos: *
  Prevenção de infecções de corrente sanguínea associada a cateteres vasculares? *
  Prevenção de pneumonia adquirida no Serviço de saúde? Todos os tipos, incluindo (mas não exclusivamente) Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica – PAV : *
  Prevenção de infecção do trato urinário associada a cateter? *
  Prevenção da transmissão de patógenos multiresistentes? *
  Desinfecção e esterilização de equipamentos /instrumentos médicos? *
  Segurança e proteção aos profissionais de cuidados de saúde: *
  Administração segura de medicamentos injetáveis? *
  Gerenciamento de resíduos? *
  Gerenciamento do uso dos antimicrobianos: *
 Os guias de recomendações/diretrizes em sua instituição são baseados em evidências e estão de acordo com as diretrizes internacionais/nacionais? *
Não (0)
Sim (10)
 A implementação dos guias de recomendações/diretrizes é adaptada* de acordo com as necessidades e recursos locais, mantendo os principais padrões do Programa de controle de infecção? *
*A equipe da CCIH analisa cuidadosamente as diretrizes para priorizar as atividades de acordo com as necessidades e os recursos locais mantendo os principais padrões do Programa de controle de infecção.
Não (0)
Sim (10)
 Os profissionais de saúde da linha de frente estão envolvidos no planejamento, execução e implementação das diretrizes do Programa de controle de infecção, além da equipe da CCIH? *
Não (0)
Sim (10)
 As partes interessadas relevantes* estão envolvidas no desenvolvimento e adaptação das diretrizes do Programa de controle de infecção além da equipe da CCIH: *
(por exemplo, coordenadores médicos e enfermeiros, gerentes hospitalares, gestão de qualidade)
Não (0)
Sim (7.5)
 Os profissionais de saúde recebem treinamento específico relacionado às diretrizes novas ou atualizadas do Programa de controle de infecção que são introduzidas na instituição? *
Não (0)
Sim (10)
 Você monitora regularmente a implementação dos guias de recomendação/diretrizes em sua instituição? *
Não (0)
Sim (10)
 Subtotal do Componente Essencial 2: Programa de Prevenção e Controle de Infecção - Guias de recomendações: *
Pontuação máxima (100 pts)
  Componente Essencial 3. Programa de Prevenção e Controle de Infecção - Educação e Treinamento 
 Existe pessoal com expertise em prevenção e controle de infecção e / ou doenças infecciosas para liderar os treinamentos oferecidos aos profissionais da instituição? *
Não (0)
Sim (10)
 Existem pessoas externas à CCIH com habilidades adequadas para servir como treinadores e mentores (por exemplo, líderes enfermeiros ou médicos)? *
Não (0)
Sim (10)
 Com qual frequência o pessoal da limpeza e outros profissionais diretamente envolvidos com o cuidado ao paciente recebem treinamento? *
Nunca ou raramente (0)
Somente Orientação aos novos funcionários (5)
Orientação aos novos funcionários e treinamento regular do Programa (pelo menos anualmente), mas não obrigatório (10)
Orientação aos novos funcionários e treinamento regular do Programa (pelo menos anualmente) obrigatório para todos os profissionais de saúde. (15)
 Com qual frequência os demais profissionais recebem treinamentos relacionados ao Programa de Controle de infecção em sua instituição (Ex: Equipe de prestação de serviços, equipe administrativa e de gerenciamento): *
Nunca ou raramente (0)
Orientação aos novos funcionários (5)
Orientação aos novos funcionários e treinamento regular do Programa (pelo menos anualmente), mas não obrigatório (10)
Orientação aos novos funcionários e treinamento regular do Programa (pelo menos anualmente) obrigatório. (15)
 A equipe administrativa e gerencial recebe treinamento geral sobre o Programa de controle de infecção em sua instituição? *
Não (0)
Sim (5)
 Como os profissionais de saúde e demais profissionais são capacitados? *
Capacitação não está disponível (0)
Utilizando somente informações escritas e/ou instruções orais ou e-learning. (5)
Inclui sessões de treinamento interativo adicional. (por exemplo simulação e/ou treinamento à beira leito). (10)
 Existem avaliações periódicas da eficácia dos programas de capacitação (por exemplo, auditorias de higiene das mãos, outras avaliações de conhecimento)? *
Não (0)
Sim, mas não rotineiramente (5)
Sim, regularmente (pelo menos anualmente) (10)
 A capacitação para o Programa de controle de infecção é integrado à prática clínica e ao treinamento de outras especialidades (por exemplo, capacitação para cirurgiões envolve aspectos do Programa)? *
Não (0)
Sim, em algumas especialidades (5)
Sim, em todas as especialidades (10)
 Existe um treinamento específico do Programa de controle de infecção para pacientes ou familiares para minimizar o potencial das IRAS? *
(por exemplo, pacientes imunodeprimidos, pacientes com dispositivos invasivos, pacientes com infecções por bactérias multidroga-resistentes)
Não (0)
Sim (5)
 Educação e desenvolvimento contínuos são oferecidos para equipe da CCIH (por exemplo, participando regularmente de conferências, cursos)? *
Não (0)
Sim (10)
 Subtotal do Componente Essencial 3: Programa de Prevenção e Controle de Infecção - Educação e treinamento: *
Pontuação máxima (100 pts)
  Componente Essencial 4. Vigilância das Infecções Relacionadas à Assistência em Saúde (IRAS) 
 A vigilância das IRAS é um componente definido do seu Programa de prevenção e controle de infecção? *
Não (0)
Sim (5)
 Existem profissionais responsáveis pelas atividades de vigilância? *
Não (0)
Sim (5)
 Os profissionais responsáveis pelas atividades de vigilância foram treinados em epidemiologia básica, vigilância e prevenção e controle de infecção*: *
*(isto é, possuem capacidade de supervisionar métodos de vigilância, gerenciamento de dados e interpretação)
Não (0)
Sim (5)
 Existe um suporte de informática para a condução da vigilância (Ex: equipamentos, tecnologias móveis, relatórios eletrônicos de saúde)? *
Não (0)
Sim (5)
 Prioridades para Vigilância – definidas de acordo com o escopo da assistência:
 Existe um exercício de priorização para determinar as IRAS que serão alvo de vigilância, de acordo com o contexto local? (identificando infecções que são as principais causas de morbidade e mortalidade na Unidade): *
Um exercício de priorização deve ser realizado para determinar quais IRAS devem ser alvo de vigilância de acordo com o contexto local (por exemplo, áreas e / ou pacientes em maior risco) de acordo com os recursos disponíveis.
Não (0)
Sim (5)
 Em sua instituição a vigilância é realizada para:
Não (0)
Sim (2.5)
  Infecções do Sítio Cirúrgico? (se não realizar cirurgia, responda: SIM): *
  Infecções associadas a dispositivos (por exemplo, infecções do trato urinário associadas a cateter, infecções de corrente sanguínea associadas à cateter venoso central, pneumonia associada a ventilação mecânica)? *
  Infecções clinicamente definidas (por exemplo, definições baseadas apenas em sinais ou sintomas clínicos na ausência de testes microbiológicos)? *
  Infecções ou Colonização causadas por patógenos multidroga-resistentes definidos de acordo com sua situação epidemiológica local? *
  Infecções prioritárias com tendências a epidemias locais (por exemplo, norovírus, gripe, tuberculose (TB), síndrome respiratória aguda grave (SRAG), Ebola, febre Lassa)? *
  Infecções em populações vulneráveis (por exemplo, neonatos, unidade de terapia intensiva, imunocomprometidos, pacientes queimados)? *
  Infecções que podem afetar os profissionais de saúde em serviços clínicos, laboratoriais ou outros (por exemplo, hepatite B ou C, vírus da imunodeficiência humana (HIV), influenza)? *
 Existe uma avaliação regular para checagem se a vigilância está de acordo com as necessidades e prioridades atuais de sua Instituição? *
Não (0)
Sim (5)
 Métodos de Vigilância:
 As definições de caso de vigilância utilizadas são confiáveis (definição de numerador e denominador de acordo com as diretrizes nacionais/critérios diagnósticos da Anvisa. *
Não (0)
Sim (5)
 São utilizados métodos padronizados de coleta de dados (por exemplo, vigilância prospectiva ativa) de acordo com os Critérios da Anvisa? *
Não (0)
Sim (5)
 Na sua instituição é utilizado um processo para revisar regularmente a qualidade dos dados (por exemplo, avaliação de formulários de relatórios de caso, revisão de resultados de microbiologia, determinação de denominador, etc.)? *
Não (0)
Sim (5)
 Na sua instituição existe um laboratório de microbiologia capaz de dar suporte para a vigilância das IRAS? *
Não (0)
Sim, capaz de diferenciar cepas Gram-positivas/negativas, mas não a identificação de patógenos (2.5)
Sim, capaz de identificar patógenos (ex: identificação do isolado) em tempo hábil. (5)
Sim, capaz de identificar patógenos e padrões de resistência aos antimicrobianos (ou seja, perfil de sensibilidade) em tempo hábil. (10)
 Análise e disseminação de informações/uso de dados, vinculação e governança:
 Os dados de vigilância são usados para elaborar planos personalizados / baseados na sua instituição para melhorar as práticas de prevenção e controle de infecção? *
Não (0)
Sim (5)
 O perfil de resistência antimicrobiana é avaliado regularmente em sua instituição (por exemplo, trimestral / semestral / anual)? *
Não (0)
Sim (5)
 Sua instituição envia regularmente (por exemplo, trimestralmente / semestral / anualmente) informações atualizadas de vigilância para:
Não (0)
Sim (2.5)
  Profissionais de saúde da linha de frente do cuidado (médicos/enfermeiros)? *
  Líderes clínicos/Chefes de Departamento: *
  Comitê auxiliar (membros consultores) da CCIH: *
  Gerência/ administração não clínica (diretor executivo / diretor financeiro)? *
 Como a CCIH fornece uma retroalimentação atualizada em relação a vigilância realizada? (pelo menos anualmente): *
Não tem retroalimentação (0)
Apenas por informação escrita / oral (2.5)
Por apresentação interativa orientada para a busca de soluções de problemas (7.5)
 Subtotal do Componente Essencial 4: Vigilância das Infecções Relacionadas à Assistência em Saúde (IRAS): *
Pontuação máxima (100 pts)
  Componente Essencial 5. Estratégia Multimodal para prevenção e controle de infecções 
 O uso de estratégias multimodais no IPC tem se mostrado a melhor abordagem baseada em evidências para alcançar mudanças sustentáveis no sistema e no comportamento para a implementação de intervenções do PCI. Estratégia multimodal: ≥3 componentes implementados de forma integrada para alcançar a melhoria de um resultado e mudar o comportamento (por exemplo, práticas de higienização das mãos). Os componentes podem incluir (i) mudança de sistema (por exemplo, disponibilizando infraestrutura, suprimentos e recursos humanos necessários), (ii) educação e treinamento de profissionais de saúde e atores-chave (por exemplo, gerentes), (iii) monitoramento de infraestruturas, práticas, processos, resultados e fornecimento de retroalimentação de dados; (iv) lembretes no local de trabalho / comunicações; e (v) mudança de cultura dentro da instituição ou o fortalecimento de um clima de segurança. Também inclui ferramentas, como listas de verificação (checklists) e pacotes de medidas (bundles), desenvolvidos por equipes multidisciplinares que levam em conta as condições locais. Todas as cinco áreas devem ser consideradas e as ações necessárias devem ser tomadas, com base no contexto local e na situação informada por avaliações periódicas. Lições do campo da ciência da implementação sugerem que direcionar apenas um desses cinco elementos (isto é, usar uma estratégia “unimodal”) é mais provável resultar em melhorias as estratégias que são de curta duração e não sustentáveis.
 Sua instituição utiliza estratégias multimodais para implementação de intervenções de prevenção e controle de infecção? *
Não (0)
Sim (15)
 As estratégias multimodais desenvolvidas pelo serviço incluem algum ou todos os elementos seguintes:
 Mudança no sistema: *
Elemento não incluído nas estratégias multimodais (0)
Intervenções para garantir a infraestrutura necessária e disponibilidade contínua de suprimentos estão em vigor (5)
Intervenções para garantir a infraestrutura necessária e disponibilidade de suprimentos estão em vigor, inclusive ergonomia e acessibilidade (10)
 Educação e Treinamento: *
Elemento não incluído nas estratégias multimodais (0)
Apenas informações escritas e / ou instrução oral e / ou e-learning (5)
Sessões de treinamento interativo adicionais. (inclui simulação e/ou treinamento à beira leito). (10)
 Monitoramento e retroalimentação: *
Elemento não incluído nas estratégias multimodais (0)
Monitoramento da conformidade com os indicadores de processo ou resultado (por exemplo, auditorias de higiene das mãos ou práticas relacionadas a implantação de cateteres) (5)
Monitorando a conformidade e fornecendo retroalimentação oportuna de resultados de monitoramento para os profissionais de saúde e os principais atores desenvolvidos nos processos (10)
 Comunicações e Lembretes: *
Elemento não incluído nas estratégias multimodais (0)
Lembretes, cartazes ou outras ferramentas de sensibilização / conscientização para promover a intervenção (5)
Métodos / iniciativas adicionais para melhorar a comunicação em equipe entre unidades e disciplinas (por exemplo, ao estabelecer discussões regulares de casos e rondas de retroalimentação) (10)
 Clima de Segurança e Mudança de Cultura: *
Elemento não inclui estratégias multimodais (0)
Os gerentes/líderes mostram suporte visível e atuam como modelos, promovendo uma abordagem adaptativa e fortalecendo uma cultura que oferece suporte à prevenção e controle e segurança do paciente (5)
Adicionalmente, equipes e indivíduos são habilitados para que percebam sua capacidade de intervenção (por exemplo, através de rondas participativas de retroalimentação) (10)
 Existe uma equipe multidisciplinar para implementar estratégias multimodais para a prevenção e controle de infecção? *
Não (0)
Sim (15)
 A CCIH se envolve regularmente com a equipe da melhoria da qualidade e da segurança do paciente para desenvolver e promover estratégias multimodais para prevenção e controle de infecção? *
Não (0)
Sim (10)
 Existem estratégias que envolvam pacotes de medidas (bundles) ou listas de verificação (checklists)? *
Não (0)
Sim (10)
 Subtotal do Componente Essencial 5: Estratégia Multimodal para implementação de intervenções para Prevenção e Controle de Infecção: *
Pontuação máxima (100 pts)
  Componente Essencial 6. Monitoramento/auditoria das práticas e retroalimentação 
 Existe pessoal treinado responsável pelo monitoramento / auditoria das práticas de prevenção e controle de infecção e retroalimentação? *
Não (0)
Sim (10)
 Existe um plano de monitoramento bem definido com metas, objetivos e atividades claras (incluindo ferramentas para a coleta de dados de forma sistematizada): *
Não (0)
Sim (7.5)
 Quais os processos e indicadores que são monitorados em sua instituição? : *
Marque todos que se aplicam.
Nenhum (0)
Adesão a higiene das mãos (utilizando a ferramenta de observação de higiene das mãos da Anvisa ou equivalente) (5)
Inserção/cuidado de cateter intravascular (5)
Troca de curativo de feridas (5)
Medidas de precauções e isolamento para prevenir a disseminação de microrganismos multidroga-resistentes (MDR) (5)
Limpeza do ambiente (5)
Desinfecção e esterilização de equipamentos/ dispositivos médicos (5)
Consumo/uso de produto alcoólico/ sabonete (5)
Consumo/uso de antimicrobianos (5)
Gerenciamento de resíduos (5)
 Com qual frequência é aplicado o questionário de auto avaliação da higiene das mãos da Anvisa ou outra ferramenta disponibilizada pelo seu Estado? *
Link da ferramenta de autoavaliação de Higiene de mãos: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=45647
Nunca (0)
Periodicamente, mas sem data definida (2.5)
Pelo menos anualmente (5)
 Você faz a retroalimentação por meio de relatórios de auditoria (por exemplo, comentários sobre dados de conformidade de higiene das mãos ou outros processos) sobre as atividades / desempenho do Programa de prevenção e controle de infecção? *
Marque todos que se aplicam.
Nenhum relatório (0)
Sim, com a equipe da CCIH (2.5)
Sim, para os líderes de departamento e gestores das áreas que foram auditadas. (2.5)
Sim, para os profissionais de saúde da linha de frente do cuidado. (2.5)
Sim, para o comitê auxiliar (membros consultores) da CCIH ou comitês de qualidade do cuidado, ou equivalente. (2.5)
Sim, para os gestores da Instituição e alta administração.(2.5)
 A publicação do relatório do monitoramento dos dados é realizado regularmente (pelo menos anualmente)? *
Não (0)
Sim (10)
 O monitoramento e a retroalimentação dos processos e indicadores do Programa de prevenção e controle são realizados em uma cultura institucional : *
Não (0)
Sim (5)
 Você avalia fatores culturais de segurança em sua instituição (por exemplo, usando pesquisas para mensurar a cultura de segurança do paciente dentro da sua instituição, tais como HSOPSC, SAQ, PSCHO, HSC22): *
Não (0)
Sim (5)
 Subtotal do Componente Essencial 6: Monitoramento/auditoria das práticas de Prevenção e controle de infecção e retroalimentação : *
Pontuação máxima (100 pts)
  Componente Essencial 7. Carga de trabalho, pessoal e ocupação de leitos 
 Particularmente para essas perguntas, a equipe do Programa de controle de infecção pode precisar consultar outras equipes relevantes na instituição, a fim de responder às perguntas de maneira apropriada.
 Na sua instituição existe o dimensionamento de pessoal de acordo com a carga de trabalho por paciente, utilizando os padrões nacionais ou uma ferramenta padronizada para avaliação da necessidade de pessoal: *
Não (0)
Sim (5)
 Há conformidade (em relação as recomendações nacionais ou estaduais) entre a razão de profissionais de saúde para o número de pacientes* em toda a instituição? *
*Levando em conta que todos os profissionais de saúde envolvidos na prestação de serviços e atendimento ao paciente, incluindo pessoal clínico (médicos, enfermeiros, dentistas, assistentes médicos, etc.), técnicos de laboratório e outros profissionais de saúde (por exemplo, profissionais de limpeza).
Não (0)
Sim, por equipe em menos de 50% das unidades (5)
Sim, por equipe em mais de 50% das unidades (10)
Sim, para todos os profissionais de saúde da instituição. (15)
 A instituição possui um sistema local para agir sobre os resultados das avaliações de necessidades de pessoal quando os níveis de pessoal são considerados muito baixos? *
Não (0)
Sim (10)
 A estrutura das enfermarias (área física) está de acordo com as normativas nacionais em relação a capacidade de leitos? *
Não (0)
Sim, mas apenas em algumas unidades (5)
Sim, em todas as unidades (incluindo emergência e pediatria) (15)
 A ocupação de leitos em sua instituição é de um paciente por leito? *
Não (0)
Sim, mas apenas em algumas unidades (5)
Sim, em todos as unidades (incluindo emergência e pediatria) (15)
 Os pacientes na sua Instituição são mantidos em leitos dispostos no corredor, fora do quarto (incluindo leitos no serviço de emergência)? *
Sim, mais frequentemente do que duas vezes por semana (0)
Sim, menos frequentemente do que duas vezes por semana (5)
Não (15)
 O espaçamento adequado (> 1 metro) entre as camas de pacientes é assegurado na sua instituição? *
Não (0)
Sim, mas somente em certas unidades (5)
Sim, para todas as unidades (incluindo emergência e pediatria) (15)
 A instituição possui um sistema para avaliar e responder quando a capacidade de ocupação de leitos adequada é excedida? *
Não (0)
Sim, isso está sob responsabilidade do chefe da Unidade (5)
Sim, isso está sob a responsabilidade da administração/gerência da Instituição. (10)
 Subtotal do Componente Essencial 7. Carga de trabalho, pessoal e ocupação de leitos: *
Pontuação máxima (100 pts)
  Componente Essencial 8. Infraestrutura, materiais e equipamentos 
 Particularmente para essas perguntas, a equipe da CCIH pode precisar consultar outras equipes relevantes na instituição para responder às perguntas de maneira apropriada e precisa.
 Os serviços de água estão disponíveis em todos os momentos, e em quantidade suficiente para todas as atividades (por exemplo, higiene de mãos, consumo, higiene pessoal, atividades médicas, esterilização, descontaminação, limpeza e lavanderia)? *
Não, disponível em média < 5 dias por semana. (0)
Sim, disponível em média ≥ 5 dias por semana ou diariamente, porém não em quantidade suficiente. (2.5)
Sim, diariamente e em quantidade suficiente. (7.5)
 Existe um ponto confiável de água potável, acessível para funcionários, pacientes e famílias em todos os momentos e em todos os locais / enfermarias? *
Não, não é disponível (0)
Algumas vezes, ou somente em alguns lugares, ou não disponível para todos os usuários. (2.5)
Sim, acessível a todo momento, para todos os grupos e enfermarias. (7.5)
 Higiene das mãos e Saneamento:
 As estações para higiene das mãos estão funcionantes e disponíveis em todos os pontos de assistência (ou seja, solução alcoolica, ou água e sabonete e toalhas descartáveis) : *
Não, não estão presentes (0)
Sim, as estações estão presentes, mas os suprimentos disponíveis não são confiáveis. (2.5)
Sim, disponíveis e confiáveis. (7.5)
 Em sua instituição, existem ≥ 4 banheiros disponíveis em nível ambulatorial ou ≥ 1 por 20 usuários para unidades de internação? *
Para ser considerado utilizável, um banheiro / latrina deve ter uma porta que esteja destrancada quando não estiver em uso (ou para a qual uma chave esteja disponível a qualquer momento) e possa ser trancada por dentro durante o uso. Não deve haver grandes buracos, rachaduras ou vazamentos na estrutura do vaso sanitário e a água deve estar disponível para vasos sanitários com descarga e descarga. Deve estar localizado dentro da instituição e deve estar limpo (ausência de resíduos, sujidade visível, excrementos e insetos).
Um número menor do que o exigido de banheiros está disponível e funcionantes. (0)
Número suficiente de banheiros, porém nem todos funcionantes. (2.5)
Número suficiente de banheiros e todos funcionantes. (7.5)
 Fonte de energia, ventilação e limpeza:
 Em sua instituição de saúde, existe uma fonte de energia suficiente durante os períodos do dia e noite: *
(exemplo: bombeamento e aquecimento de água, esterilização e descontaminação, incineração ou tecnologias de tratamento alternativos, dispositivos médicos eletrônicos, iluminação geral de áreas onde os procedimentos de saúde de são realizados para garantir a assistência em saúde segura e também a iluminação dos banheiros e chuveiros da instituição)
Não (0)
Sim, algumas vezes ou somente em algumas das áreas mencionadas (2.5)
Sim, sempre e em todas as áreas mencionadas (5)
 Há ventilação ambiental funcionante (natural ou mecânica) disponível nas áreas de assistência ao paciente? *
Não (0)
Sim (5)
 Para pisos e superfícies de trabalho horizontais está disponível um registro escrito e assinado pelos profissionais da limpeza diariamente? *
Nenhum registro relacionado ao piso e superfícies que foram limpas (0)
Registros existem, mas não são preenchidos ou assinados diariamente ou estão desatualizados (2.5)
Sim, os registros são realizados diariamente (5)
 Estão disponíveis materiais para limpeza apropriados e em boas condições (exemplo: detergentes, mops, baldes, etc.) : *
Nenhum material disponível (0)
Sim, disponível, mas não bem conservados (2.5)
Sim, disponível e bem conservados. (5)
 Posicionamento do paciente e EPI:
 A instituição possui quartos individuais para pacientes ou quartos para coorte* de pacientes com patógenos similares se o número de quartos de isolamento for insuficiente (por exemplo, TB, sarampo, cólera, Ebola, SARS)? *
*Estratégias de coorte de pacientes devem ser baseadas em uma avaliação de risco conduzida pela equipe da CCIH
Não (0)
Não há quartos individuais, mas sim quartos adequados para coortes de pacientes disponíveis (2.5)
Sim, estão disponíveis quartos individuais (7.5)
 Os EPIs estão disponíveis em todos os momentos necessários e em quantidades suficientes para todos os profissionais de saúde? *
Não (0)
Sim, mas não disponível continuamente em quantidades suficientes (2.5)
Sim, disponível continuamente e em quantidades suficientes (7.5)
 Há recipientes para coleta de resíduos comuns (grupo D), resíduos infectantes e descarte para resíduos perfuro-cortantes próximos de todos os pontos de geração de resíduos ? *
Sem recipiente ou descarte separado de resíduos perfuro-cortantes (0)
Caixas para segregação dos resíduos existem, mas faltam as tampas ou as caixas estão cheias mais do que 3/4 da sua capacidade (2.5)
Sim (5)
 Existe um aterro ou um recolhimento municipal disponível para eliminação de resíduos não infectantes (resíduos comuns)? *
Não é utilizado nenhum método de disposição (0)
Existe aterro na instituição, mas em dimensões insuficientes; aterros / despejamentos sobrecarregados ou não vedados / trancados; ou coleta municipal de lixo irregular (2.5)
Sim (5)
 Existe um incinerador ou tecnologia alternativa para o tratamento de resíduos infectantes e perfuro-cortantes (por exemplo, uma autoclave) e de capacidade suficiente? *
Não existe (0)
Existe, porém não funcional (1)
Sim (5)
 Há um sistema de tratamento de águas residuais (por exemplo, fossa séptica seguida de poço de drenagem) presente (seja na Instituição ou fora dela) e funcionando de forma confiável? *
Não, não presente (0)
Sim, mas não funcionando de forma confiável (2.5)
Sim e funcionando de forma confiável (5)
 A sua instituição apresenta uma área exclusiva para descontaminação e / ou departamento de suprimento de materiais estéreis* para a descontaminação e esterilização de dispositivos médicos e outros itens / equipamentos? *
*(presente no local ou fora da instituição. Caso seja fora da Instituição, deve ser realizado por um serviço licenciado)
Não (0)
Sim, mas não funciona de forma confiável (2.5)
Sim e funcionando de forma confiável (5)
 Estão disponíveis materiais, equipamentos estéreis/desinfetados prontos para o uso? *
Não, disponível em média < 5 dias por semana (0)
Sim, disponível em média ≥ 5 dias por semana ou todos os dias (2.5)
Sim, disponível todos os dias e em quantidade suficiente (5)
 Estão disponíveis materiais descartáveis (por exemplo, dispositivos para injeção segura, luvas para exame) quando necessário? : *
Não, não disponível (0)
Sim, mas somente algumas vezes disponível (2.5)
Sim, continuamente disponível (5)
 Subtotal do Componente Essencial 8: Construção do ambiente, materiais e equipamentos para prevenção e controle de infecção no nível da instituição: *
Pontuação máxima (100 pts)
  Total de todos os componentes 
 Pontuação Total | Nível
0 – 200 - Inadequado
201 – 400 - Básico
401 – 600 - Intermediário
601 – 800 - Avançado

 Somatório do subtotal de todos os 8 componentes: *
Soma dos subtotais dos 8 componentes. Pontuação máxima (800 pts)
Gravar Gravar
Atenção: Ao gravar aguarde a tela de confirmação. Somente se aparecer a mensagem de confirmação seus dados terão sido gravados.
Clique aqui em caso de dúvidas relativas a este formulário.
Página 1 de 1
Logotipo FormSus