Logotipo - Consulta Pública nº 600/2018 - Segunda edição do formulário homeopático da farmacopeia
layout
 Consulta Pública nº 600/2018 - Segunda edição do formulário homeopático da farmacopeiaFormulário | Resultado | Busca Ficha | Altera Ficha |  Imprimir Formulário
- FORMULÁRIO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTA PÚBLICA Nº 600/2019 DA ANVISA -


Apresentação e orientações



Por meio deste formulário, a sociedade poderá opinar sobre o texto da proposta de Segunda Edição do Formulário Homeopático da Farmacopeia Brasileira.


Para compreender melhor a questão, acesse a justificativa disponibilizada pela Anvisa e leia a proposta discutida(com o texto integral da minuta). Informações complementares, notícias e outros documentos relacionados ao assunto também podem ser acessados na página da consulta pública no portal da Anvisa. Lembramos ainda que o portal trará informações sobre o andamento do processo depois de encerrado o prazo das contribuições.


Dúvidas? Saiba como enviar sua contribuição!

Gostaria de acompanhar as contribuições dos outros participantes desta consulta pública? Clique aqui!


A sua manifestação é importante para um processo de regulamentação cada vez mais participativo!



- Esta consulta pública se encerra em 01/04/2019 -



Atenção: Ao final do formulário, é possível anexar um arquivo para subsidiar a contribuição. Caso seja necessário anexar um arquivo com mais de 2 MB, favor encaminhá-lo para farmacopeia@anvisa.gov.br, identificando-se com o nome e CPF do respondente do formulário. Este e-mail deverá ser usado EXCLUSIVAMENTE para envio de arquivos com mais de 2 MB. Não serão aceitas contribuições realizadas por e-mail.
* Preenchimento Obrigatório
Atenção: nos campos marcados com 'Visível ao público' não devem ser colocados dados de sua intimidade e privacidade.
Clique aqui em caso de dúvidas relativas a este formulário.
  Dados do respondente 
 Nome completo do respondente: *
 Qual a origem da contribuição? *(Visível ao público)
Nacional
Internacional
 Email para contato: *
O e-mail e o CPF dos participantes são considerados informações sigilosas e terão seu acesso restrito aos agentes públicos legalmente autorizados e às pessoas a que se referem tais informações, conforme preconiza o art. 31, §1º, inciso I da Lei nº 12.527/2011.
 Você deseja receber atualizações sobre o andamento desta consulta pública? *
Será enviado um e-mail para o endereço informado acima.
Sim
Não
 Autodeclaração de cor ou raça : *
Em atendimento à medida da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), com base na Lei nº 12.288/2010, este campo é obrigatório nos formulários do Governo Federal.
 Como você tomou conhecimento desta consulta pública? *(Visível ao público)
Diário Oficial da União
Site da Anvisa
Ofício, carta ou e-mail da Anvisa
Outros sites
Televisão ou rádio
Jornais ou revistas
Conselho, sindicato ou associação de profissionais
Entidade de defesa do consumidor ou associação de pacientes
Setor regulado: empresa ou entidade representativa
Amigos ou colegas de trabalho
Outros
 

USO INTERNO:

  Aconitum napellus 6 CH 
 

Nome Homeopático: Aconitum napellus.
DCB: 10111
Sinonímia Homeopática: Aconitum; Aconitum delphinifolium; Delphinium napellus; Aconitum vulgare e Napelus vulgaris.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Aconitum napellus 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Aconitum napellus 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio da febre e no tratamento dos processos inflamatórios.
Manifestação clínica: transtornos inflamatórios e febre alta, de aparecimento brusco, acompanhados de intensa ansiedade, inquietude e medo.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Organização Andrei Editora, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. - Tratado de Matéria Médica (vol I, II e III) - São Paulo: Ed. Organon, 2003.



 1 - Aconitum napellus 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 1 - Aconitum napellus 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Aconitum napellus 12 CH 
 

Nome Homeopático: Aconitum napellus.
DCB: 10111
Sinonímia Homeopática: Aconitum; Aconitum delphinifolium; Delphinium napellus; Aconitum vulgare e Napelus vulgaris.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Aconitum napellus 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Aconitum napellus 12 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da ansiedade leve e do nervosismo
Manifestação clínica: ansiedade, agitação e nervosismo com sensação de medo e respiração acelerada que agrava à noite.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido de uma a duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. - Tratado de Matéria Médica (vol I, II e III) - São Paulo: Ed. Organon, 2003.



 2 - Aconitum napellus 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 2 - Aconitum napellus 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Aesculus hippocastanum 5 CH 
 

Nome Homeopático: Aesculus hippocastanum.
DCB: 10116
Sinonímia Homeopática: Hippocastanum aesculus; Aesculus castanea; Castanea equina e Hippocastanum vulgare.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Aesculus hippocastanum 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Aesculus hippocastanum 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas das hemorroidas e varizes.
Manifestação clínica: hemorroidas e varizes dolorosas com sensação de peso e prurido. Piora pelo calor e melhora pelo frio.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VANIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. 1. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.
ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2ª Ed, 2000.


 3 - Aesculus hippocastanum 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 3 - Aesculus hippocastanum 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Allium cepa 6 CH 
 

DCB: 10123
Sinonímia Homeopática: Allium cepaeforme; Allium cepaeum; Allium commune; Allium esculentum e Porrum cepa.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Allium cepa 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Allium cepa 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas de rinites e resfriados.
Manifestações clínicas: rinite com coriza aquosa abundante e irritante com lacrimejamento abundante não irritante. Os sintomas melhoram pelo frio e ao ar livre, exceto se houver a presença de alérgenos. Piora dos sintomas pelo calor ou em ambiente quente.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 4 - Allium cepa 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 4 - Allium cepa 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Allium sativum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Allium sativum.
DCB: 10124
Sinonímia Homeopática: Allium arenarium; Allium controversum; Allium ophioscorodon; Porrum ophioscorodon e Porrum sativum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Allium sativum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Allium sativum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas de gripes e resfriados.
Manifestações clínicas: coriza com dores e cefaleia frontal.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

GUERMONPREZ, M.; PINKAS, M.; TORCK, M. Matière Médicale Homéopathique. France: CEDH, 2005.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Matéria Médica Homeopática. México: Porrua, 1979.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 5 - Allium sativum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 5 - Allium sativum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Alumina 6 C 
 

Nome Homeopático: Alumina.
DCB: 10128
Sinonímia Homeopática: Aluminii oxydum; Aluminium oxydatum e Trióxido de alumínio (Al2O3).
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Alumina 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Alumina 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento da constipação intestinal.
Manifestações clínicas: constipação intestinal por inércia retal sem vontade de evacuar; evacuação difícil e com grande esforço.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 6 - Alumina 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 6 - Alumina 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Anacardium orientale 6 CH 
 

Nome Homeopático: Anacardium orientale.
DCB: 10137
Sinonímia Homeopática: Semecarpus anacardium; Semecarpus mangifera; Anacardium latifolium; Anacardium longifolium e Anacardium officinale.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Anacardium orientale 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Anacardium orientale 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento da dispepsia e gastralgia.
Manifestação clínica: dispepsia e gastralgia de origem nervosa que melhora ao se alimentar. Piora com estômago vazio. As dores aparecem logo após a digestão.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.


 7 - Anacardium orientale 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 7 - Anacardium orientale 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Antimonium crudum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Antimonium crudum.
DCB: 10143
Sinonímia Homeopática: Antimonium sulfuratum nigrum; Antimonium sulfuratum rubrum; Stibium nigrum; Sulfuretum antimonii e Sulfuretum stibicum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Antimonium crudum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Antimonium crudum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio da dispepsia.
Manifestações clínicas: dispepsia provocada por excessos alimentares acompanhada de língua esbranquiçada, eructação com gosto de comida e tendência a diarreias. Piora por refeições ácidas.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 8 - Antimonium crudum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 8 - Antimonium crudum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Antimonium tartaricum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Antimonium tartaricum.
DCB: 10147
Sinonímia Homeopática: Tartarus emeticus; Emeticus; Tartarus antimoniatos e Tartarus stibiatus.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Antimonium tartaricum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Antimonium tartaricum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio da tosse.
Manifestação clínica: tosse com grande acúmulo de muco nas vias respiratórias de difícil expectoração. Respiração difícil e ruidosa acompanhada de sonolência, abatimento e palidez.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1985.


 9 - Antimonium tartaricum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 9 - Antimonium tartaricum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Apis mellifica 6 CH 
 

Nome Homeopático: Apis mellifica.
DCB: 10148
Sinonímia Homeopática: Apis e Apis mellifera.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir da Apis mellifica 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Apis mellifica 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de edemas cutâneos ou nas mucosas, de origem alérgica ou inflamatória.
Manifestação clínica: inflamação aguda na pele ou mucosas de aparecimento rápido, seguidas de edema róseo e prurido que melhoram pelo frio local ou geral.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática- alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 10 - Apis mellifica 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 10 - Apis mellifica 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Argentum nitricum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Argentum nitricum.
DCB: 10156
Sinonímia Homeopática: Argenti nitras; Azotas argenticus; Nitras argenti e Nitras argenticus.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir do Argentum nitricum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Argentum nitricum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de disfunções gástricas e de diarreias.
Manifestações clínicas: dores intensas e queimantes no estômago que pioram com doces e melhoram com a ingestão de bebida quente; eructação; flatulência; diarreia com gases ruidosos.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática- alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 11 - Argentum nitricum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 11 - Argentum nitricum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Argentum nitricum 12 CH 
 

Nome Homeopático: Argentum nitricum.
DCB: 10156
Sinonímia Homeopática: Argenti nitras; Azotas argenticus; Nitras argenti e Nitras argenticus.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir do Argentum nitricum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Argentum nitricum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da ansiedade leve.
Manifestação clínica: ansiedade e medo por antecipação; precipitação.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática- alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 12 - Argentum nitricum 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 12 - Argentum nitricum 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Arnica montana 6 CH 
 

Nome Homeopático: Arnica montana.
DCB: 10159
Sinonímia Homeopática: Arnica; Arnica alpina; Arnica helvetica; Doroniucm arnica e Doronicum montanum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar com álcool a 30% (v/v), a partir da Arnica montana 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Arnica montana 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos traumatismos, contusões, dores musculares; hematomas e equimoses.
Manifestações clínicas: hematomas, equimoses, sensação de contusão, cansaço, dores musculares causadas por excessos de exercícios ou traumas. Piora pelo mais leve toque, pelos sobressaltos, movimento. Melhora pelo repouso.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática- alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 13 - Arnica montana 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 13 - Arnica montana 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Arsenicum album 6CH 
 

Nome Homeopático: Arsenicum album.
DCB: 10160
Sinonímia Homeopática: Acidum arsenicosum; Arsenicum; Gefion; Metallum álbum e Acidum album.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir do Arsenicum album 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Arsenicum album 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio de vômitos, diarreias e intoxicações alimentares.
Manifestação clínica: fezes fétidas, acompanhadas de dores ardentes, seguidas de grande prostração; náuseas; ânsia de vômito. Sede por pequenas quantidades de água.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, H. C. Sintomas-Chave da Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Dynamis editorial, 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica (vol I, II e III) - São Paulo: Ed. Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 14 - Arsenicum album 6CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 14 - Arsenicum album 6CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Atropa belladonna 6 CH 
 

Nome Homeopático: Atropa belladonna.
DCB: 10781
Sinonímia Homeopática: Atropa acuminata, Belladonna; Atropa acuminata; Solanum lethale e Belladonna bacífera.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Atropa belladonna 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Atropa belladonna 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio da febre e no tratamento dos sintomas dos processos inflamatórios.
Manifestação clínica: febre alta e de instalação rápida com face vermelha, midríase, com calor intenso; processos inflamatórios com congestão local. Essas manifestações geralmente pioram pela luz intensa, pelo ruído e pelo toque.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
KAYNE, S.; KAYNE, L. Homeopathic Prescribing. 2. ed. Scotland; Saltire Books, 2017.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 15 - Atropa belladonna 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 15 - Atropa belladonna 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Avena sativa 3 DH 
 

Nome Homeopático: Avena sativa.
DCB: 10180
Sinonímia Homeopática: Avena; Avena anglica e Avena vulgaris.
Formas farmacêuticas: gotas, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 65%, a Avena sativa 2 DH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Avena sativa 3 DH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas da astenia.
Manifestação clínica: esgotamento geral após doenças debilitantes.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. - Tratado de Matéria Médica (vol I, II e III) - São Paulo: Ed. Organon, 2003.


 16 - Avena sativa 3 DH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 16 - Avena sativa 3 DH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Baryta carbonica 6 CH 
 

Nome Homeopático: Baryta carbonica.
DCB: 10184
Sinonímia Homeopática: Barium carbonicum; Baryum carbonicum; Barii carbonas; Barytae carbonas e Carbonas barytae.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Baryta carbonica 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Baryta carbonica 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas das amigdalites.
Manifestação clínica: hipertrofia crônica das amigdalas com inflamação frequente.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido duas vezes ao dia, por pelo menos um mês.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, H. C. Sintomas-Chave da Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Dynamis editorial, 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. - Tratado de Matéria Médica (vol I, II e III) - São Paulo: Ed. Organon, 2003.


 17 - Baryta carbonica 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 17 - Baryta carbonica 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Berberis vulgaris 5 CH 
 

Nome Homeopático: Berberis vulgaris.
DCB: 10190
Sinonímia Homeopática: Berberis e Berberis arborescens.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir do Berberis vulgaris 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Berberis vulgaris 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio das dores do sistema urinário.
Manifestação clínica: dores lombo-sacras pungentes que se irradiam a todas as partes.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 18 - Berberis vulgaris 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 18 - Berberis vulgaris 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Borax 6 CH 
 

Nome Homeopático: Borax.
DCB: 10197
Sinonímia Homeopática: Boras; Borax veneta; Natrum boricum; Natrum boracicum e Natrii boras.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Borax 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Borax 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas das estomatites e aftas.
Manifestação clínica: mucosa bucal queimante, com aftas doloridas. Aftas na superfície interna das bochechas que dificulta comer ou beber.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S.; KAYNE, L. Homeopathic Prescribing. 2. ed. Scotland; Saltire Books, 2017.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 19 - Borax 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 19 - Borax 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Bryonia alba 5 CH 
 

Nome Homeopático: Bryonia alba.
DCB: 10202
Sinonímia Homeopática: Bryonia; Bryonia áspera; Bryonia vulgaris e Brionia branca.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Bryonia alba 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Bryonia alba 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas do reumatismo.
Manifestações clínicas: dores reumáticas que agravam pelo movimento e melhoram pelo repouso e por pressão forte sobre o local dolorido.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática- alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.


 20 - Bryonia alba 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 20 - Bryonia alba 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Bryonia alba 12 CH 
 

Nome Homeopático: Bryonia alba.
DCB: 10202
Sinonímia Homeopática: Bryonia; Bryonia áspera; Bryonia vulgaris e Brionia branca.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Bryonia alba 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Bryonia alba 12 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas de gripe e estados gripais e bronquite previamente diagnosticada.
Manifestações clínicas: secura de mucosas, tosse seca e dolorosa acompanhada de sede.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.


 21 - Bryonia alba 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 21 - Bryonia alba 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Calcarea carbonica 6 CH 
 

Nome Homeopático: Calcarea carbonica.
DCB: 10213
Sinonímia Homeopática: Calcarea ostreica; Calcarea carbonica Hahnemanni; Calcarea ostrearum; Calcii carbonas ostrearum e Calcium carbonicum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Calcarea carbonica 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Calcarea carbonica 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas de rinites, sinusites, otites e amigdalites recorrentes.
Manifestações clínicas: os sintomas pioram pelo frio, melhoram pelo tempo seco e são acompanhados de hipertrofia de gânglios, amígdalas ou adenoides.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido duas vezes ao dia, por pelo menos um mês.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.


 22 - Calcarea carbonica 6 CH- Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 22 - Calcarea carbonica 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Calcarea fluorica 6 CH 
 

Nome Homeopático: Calcarea fluorica.
DCB: 10214
Sinonímia Homeopática: Calcium fluoricum; Calcium fluoratum; Calcarea fluorata, Calcarea fluorica naturalis e Fluoritum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Calcarea fluorica 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Calcarea fluorica 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas de varizes.
Manifestações clínicas: varizes e veias dilatadas acompanhadas de dores queimantes e sensação de ruptura e cansaço.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.


 23 - Calcarea fluorica 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 23 - Calcarea fluorica 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Calcarea phosphorica 6 CH 
 

Nome Homeopático: Calcarea phosphorica.
DCB: 10218
Sinonímia Homeopática: Calcium phosphoricum; Calcarea phosphorata;
Calcium phosphas e Phosphas calcicus.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Calcarea phosphorica 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Calcarea phosphorica 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas incômodos da primeira dentição e das dores ósseas do crescimento na adolescência.
Manifestações clínicas: atraso na dentição e dores na eclosão dos dentes. Dores nas extremidades ósseas devido ao crescimento rápido dos adolescentes, principalmente nos joelhos.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.

VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 24 - Calcarea phosphorica 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 24 - Calcarea phosphorica 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Calendula officinalis 6 CH 
 

Nome Homeopático: Calendula officinalis.
DCB: 10220
Sinonímia Homeopática: Calendula; Caltha officinallis; Caltha vulgaris e Calendula prolifera.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Calendula officinalis 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Calendula officinalis 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas relacionados à cicatrização.
Manifestações clínicas: feridas dolorosas e inflamadas.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia &Matéria Médica Homeopática. São Paulo:Organon, 2009.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 25 - Calendula officinalis 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 25 - Calendula officinalis 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Cantharis vesicatoria 6 CH 
 

Nome Homeopático: Cantharis.
DCB: 10224
Sinonímia Homeopática: Lytta vesicatoria; Meloe vesicatoria e Muscae hispanicae.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Cantharis vesicatoria 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Cantharis vesicatoria 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da cistite.
Manifestações clínicas: sensação de ardor e queimação antes, durante e depois da micção.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 26 - Cantharis vesicatoria 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 26 - Cantharis vesicatoria 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Carbo vegetabilis 6 CH 
 

Nome Homeopático: Carbo vegetabilis.
DCB: 10227
Sinonímia Homeopática: Carbo ligni; Carbo ligni betulae e Carbo ligni officinalis.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir do Carbo vegetabilis 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Carbo vegetabilis 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da má digestão.
Manifestações clínicas: flatulência com acúmulo de gases na região do estômago, queimação e desconforto que melhora pela eructação.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic prescribing pocket companion. Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 27 - Carbo vegetabilis 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 27 - Carbo vegetabilis 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Carduus marianus 6 CH 
 

Nome Homeopático: Carduus marianus.
DCB: 10228
Sinonímia Homeopática: Carduus; Cnicus marianus; Sylibum marianum; Cartamus maculatus e Carduus mariae.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Carduus marianus 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Carduus marianus 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas das disfunções hepatobiliares.
Manifestações clínicas: dispepsia, gosto amargo na boca, náuseas e dores na região hepatobiliar.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Organização Andrei Editora, 2000.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 28 - Carduus marianus 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 28 - Carduus marianus 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Causticum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Causticum.
DCB: 10233
Sinonímia Homeopática: Causticum Hahnemanni; Acris tinctura sine kali e Tinctura acri sine kali.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Causticum 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Causticum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio de dores reumáticas e auxiliar no tratamento da incontinência urinária.
Manifestações clínicas: dores articulares, tendinosas ou musculares com tendência a rigidez articular e sensação dos tendões encurtados; incontinência urinária e enurese noturna.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic prescribing pocket companion. Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 29 - Causticum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 29 - Causticum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Chelidonium majus 6 CH 
 

Nome Homeopático: Chelidonium.
DCB: 10239
Sinonímia Homeopática: Chelidonium; Celidônia; Celidonia maior e Quelidônio.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Chelidonium majus 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Chelidonium majus 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicação: auxiliar no alívio dos sintomas relacionados a distúrbios gástricos e hepatobiliares.
Manifestação clínica: indigestão, náuseas, cólicas, dores em pontadas nesta região que irradia para a escápula direita e tendência a fezes amareladas.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.

TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 30 - Chelidonium majus 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 30 - Chelidonium majus 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  China officinallis 6 CH 
 

Nome Homeopático: China.
DCB: 10242
Sinonímia Homeopática: China; Cinchona officinallis e Cinchona academica.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da China officinallis 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da China officinallis 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de diarreias e síndromes febris.
Manifestação clínica: diarreias indolores com flatulência, cólica, fraqueza e astenia. Febres intermitentes e debilitantes.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. Andrei Editora. 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 31 - China officinallis 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 31 - China officinallis 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Cimicifuga racemosa 6 CH 
 

Nome Homeopático: Cimicifuga racemosa.
DCB: 10252
Sinonímia Homeopática: Actaea racemosa; Cimicifuga; Cimicifuga serpentaria e Macrotrys.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Cimicifuga racemosa 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Cimicifuga racemosa 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento da síndrome pré-menstrual e dos sintomas da menopausa.
Manifestação clínica: na síndrome pré-menstrual, as cólicas são proporcionais ao fluxo menstrual. Sintomas da menopausa acompanhados de dores reumáticas principalmente na região cervical.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.


 32 - Cimicifuga racemosa 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 32 - Cimicifuga racemosa 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Cocculus indicus 6 CH 
 

Nome Homeopático: Cocculus.
DCB: 10261
Sinonímia Homeopática: Cocculus; Anamirta cocculus; Cissampelos cocculus; Cocculae officinarum e Menispermum cocculus.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Cocculus indicus 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Cocculus indicus 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das vertigens.
Manifestação clínica: tontura associada a enjoo, náuseas ou vômitos e fraqueza com sensação de cabeça vazia agravadas pelo movimento passivo (carro, trem, barco ou avião).
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. Andrei Editora. 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 33 - Cocculus indicus 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 33 - Cocculus indicus 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Coffea cruda 6 CH 
 

Nome Homeopático: Coffea cruda.
DCB: 10264
Sinonímia Homeopática: Coffea arabica; Coffea laurifoia; Coffea moka; Coffea vulgaris e Jasminum arabicum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Coffea cruda 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Coffea cruda 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da insônia e dos estados de inquietação nervosa.
Manifestação clínica: agitação, hiperexcitação nervosa, hipersensibilidade sensorial e grande atividade mental que o impedem de dormir.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 34 - Coffea cruda 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 34 - Coffea cruda 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Colocynthis 6 CH 
 

Nome Homeopático: Colocynthis.
DCB: 10268
Sinonímia Homeopática: Citrullus colocynthis; Colocynthis officinalis; Cucumis bipinnatifidus; Cucumis colocynthis e Cucurbita colocyntha.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Colocynthis 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Colocynthis 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio do desconforto causado por cólicas e dores nevrálgicas.
Manifestação clínica: cólicas violentas que obrigam o paciente a se dobrar ou dor ciática que melhoram com a flexão das pernas.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. Andrei Editora. 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 35 - Colocynthis 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 35 - Colocynthis 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Conium maculatum 12 CH 
 

Nome Homeopático: Conium maculatum.
DCB: 10271
Sinonímia Homeopática: Conium; Cicuta maculata; Cicuta major; Coriandrum cicuta e Sium douglasii.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Conium maculatum 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Conium maculatum 12 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das vertigens.
Manifestação clínica: tontura com sensação de que os objetos giram em torno de si, mesmo deitado, que agrava ao virar a cabeça ou os olhos.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido três vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 36 - Conium maculatum 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 36 - Conium maculatum 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Drosera rotundifolia 6 CH 
 

Nome Homeopático: Drosera.
DCB: 10293
Sinonímia Homeopática: Drosera; Drosera septentrionalis; Rorella rotundifolia; Rossolis rotundifolia e Rossolis septentrionalis.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Drosera 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Drosera 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio da tosse.
Manifestação clínica: tosse seca, espasmódica, violenta, sufocante principalmente noturna, que pode até desencadear vômitos.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 37 - Drosera rotundifolia 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 37 - Drosera rotundifolia 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Dulcamara 6 CH 
 

Nome Homeopático: Dulcamara.
DCB: 10294
Sinonímia Homeopática: Solanum dulcamara; Amara dulcis; Doce-amarga; Dulcamara flexuosa e Lycopersicum dulcamara.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Dulcamara 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Dulcamara 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas das rinofaringites.
Manifestação clínica: coriza, sensação de obstrução nasal, secreção faríngea pelo tempo úmido.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 38 - Dulcamara 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 38 - Dulcamara 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Eupatorium perfoliatum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Eupatorium perfoliatum.
DCB: 10304
Sinonímia Homeopática: Eupatorium connatum; Eupatorium cuneatum; Eupatorium salviæfolium; Eupatorium truncatum e Uncasia perfoliata.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Eupatorium perfoliatum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Eupatorium perfoliatum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas da gripe e resfriados.
Manifestação clínica: dores musculares e nos ossos, prostração generalizada, febre, náuseas, cefaleia, coriza e dores nos globos oculares como nas síndromes gripais e da dengue.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2ª Ed, 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 39 - Eupatorium perfoliatum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 39 - Eupatorium perfoliatum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Ferrum metallicum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Ferrum metallicum.
DCB: 10316
Sinonímia Homeopática: Ferrum reductum; Ferrum purum e Ferrum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Ferrum metallicum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Ferrum metallicum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das anemias previamente diagnosticadas.
Manifestação clínica: anemia acompanhada de cansaço, fraqueza e palidez.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 40 - Ferrum metallicum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 40 - Ferrum metallicum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Ferrum phosphoricum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Ferrum phosphoricum.
DCB: 10318
Sinonímia Homeopática: Ferri phosphas; Ferrum oxydatum phosphoricum e Ferrum phosphoricum album.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30%, a partir do Ferrum phosphoricum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Ferrum phosphoricum 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas de resfriados e afecções otorrinolaringológicas.
Manifestação clínica: inflamação do sistema respiratório de aparecimento progressivo e febre moderada; no início do processo inflamatório e congestivo de rinofaringites, otites e bronquites com secreções previamente diagnosticadas.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 41 - Ferrum phosphoricum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 41 - Ferrum phosphoricum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Gelsemium sempervirens 6 CH 
 

Nome Homeopático: Gelsemium sempervirens.
DCB: 10330
Sinonímia Homeopática: Gelsemium; Gelsemium lucidum; Bignonia sempervirens; Gelsemium nitidum e Lisianthus sempervirens.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir de Gelsemium sempervirens 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir de Gelsemium sempervirens 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas relacionados a síndromes gripais e resfriados.
Manifestação clínica: prostração, dores musculares, dor de cabeça, embotamento, acompanhadas de coriza e febre, podendo apresentar calafrios.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 42 - Gelsemium sempervirens 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 42 - Gelsemium sempervirens 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Gelsemium sempervirens 30 CH 
 

Nome Homeopático: Gelsemium sempervirens.
DCB: 10330
Sinonímia Homeopática: Gelsemium; Gelsemium lucidum; Bignonia sempervirens; Gelsemium nitidum e Lisianthus sempervirens.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir de Gelsemium sempervirens 29 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir de Gelsemium sempervirens 30 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da ansiedade leve.
Manifestação clínica: ansiedade e medo por antecipação, tremor e obnubilação.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, HENRY C. Sintomas-chave da Matéria Médica Homeopática. São Paulo, Dynamis editorial, 2. ed. 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic prescribing pocket companion. Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 43 - Gelsemium sempervirens 30 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 43 - Gelsemium sempervirens 30 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Hamamelis virginiana 5 CH 
 

Nome Homeopático: Hamamelis virginiana.
DCB: 10342
Sinonímia Homeopática: Hamamelis; Hamamelis dentata; Hamamelis virginica e Trilopus virginica.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v), a partir de Hamamelis virginiana 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir de Hamamelis virginiana 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL), glóbulos (12 g), tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas das varizes e hemorroidas.
Manifestações clínicas: congestão venosa acentuada com muita sensibilidade ao toque e sensação de dor contusa.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21a edição. Livraria Teixeira LTDA. 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, Editora. 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic prescribing pocket companion Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 44 - Hamamelis virginiana 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 44 - Hamamelis virginiana 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Hepar sulphur 6 CH 
 

Nome Homeopático: Hepar sulphur.
DCB: 10350
Sinonímia Homeopática: Calcarea sulphurata; Hepar sulfur; Hepar sulphuris calcareum e Sulfuretum calcis.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir de Hepar sulphur 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir de Hepar sulphur 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL), glóbulos (12 g), tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das afecções inflamatórias da pele.
Manifestações clínicas: inflamação cutânea pruriginosa com tendência a supuração como nas acnes e furúnculos.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

ALLEN, H. C. Sintomas-Chave da Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Dynamis editorial, 2000.
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic prescribing pocket companion Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.


 45 - Hepar sulphur 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 45 - Hepar sulphur 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Hydrastis canadensis 6 CH 
 

Nome Homeopático: Hydrastis.
DCB: 10355
Sinonímia Homeopática: Hydrastis; Hydrastis trifólia; Warnera canadenses; Warnera diphylla e Warnera tinctoria.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir de Hydrastis canadensis 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir de Hydrastis canadensis 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL), glóbulos (12 g), tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas da sinusite e rinofaringites.
Manifestações clínicas: secreção amarelada e espessa, rinorreia posterior escoriante, viscosa e espessa.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. Livraria Teixeira LTDA. 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic prescribing pocket companion Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 46 - Hydrastis canadensis 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 46 - Hydrastis canadensis 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Hypericum perforatum 5 CH 
 

Nome Homeopático: Hypericum perforatum.
DCB: 10358
Sinonímia Homeopática: Hypericum; Hipérico; Hypericum pseudo perforatum; Hypericum officinale e Hypericum vulgare.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir de Hypericum perforatum 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir de Hypericum perforatum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira, em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas dos traumatismos das terminações nervosas.
Manifestações clínicas: dor intensa ao longo do trajeto do nervo.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 47 - Hypericum perforatum 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 47 - Hypericum perforatum 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Ignatia amara 12 CH 
 

Nome Homeopático: Ignatia amara.
DCB: 10360
Sinonímia Homeopática: Ignatia; Faba indica; Strychnos ignatii e Faba Santi Ignatii.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Ignatia amara 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir da Ignatia amara 12 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento da ansiedade leve e insonia.
Manifestações clínicas: medo e ansiedade por antecipação; hipersensibilidade sensorial e às emoções; insônia ou sono não reparador após contrariedades, preocupações e emoções; alternância de humor.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 48 - Ignatia amara 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 48 - Ignatia amara 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Ipecacuanha 5 CH 
 

Nome Homeopático: Ipecacuanha.
DCB: 10364
Sinonímia Homeopática: Ipeca; Psychotria ipecacuanha; Cephælis emetica; Ipecacuanha officinalis e Cephaelis ipecacuanha.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Ipecacuanha 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir da Ipecacuanha 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicação: auxiliar no alívio da tosse.
Manifestações clínicas: tosse espasmódica com sufocamento acompanhada de náuseas e vômitos constantes e persistentes.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.


 49 - Ipecacuanha 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 49 - Ipecacuanha 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Iris versicolor 6 CH 
 

Nome Homeopático: Iris versicolor.
DCB: 10365
Sinonímia Homeopática: Iris caurina; Iris flaccida; Iris picta e Iris sativa.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Iris versicolor 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Iris versicolor 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicação: auxiliar no tratamento dos sintomas de enxaqueca e cefaleia.
Manifestações clínicas: cefaleia com dores na região frontal da cabeça, acompanhada de náuseas, vômitos ou distúrbios visuais.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.


 50 - Iris versicolor 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 50 - Iris versicolor 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Kali bichromicum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Kali bichromicum.
DCB: 10369
Sinonímia Homeopática: Kalium bichromicum; Kalium dichromicum; Potassii bichromas e Bichromas kalicus.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir de Kali bichromicum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir de Kali bichromicum 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas da sinusite e rinofaringites.
Manifestações clínicas: secreção nasal amarelada espessa, podendo formar crostas aderentes. Dor e pressão na raiz do nariz. Rinorreia posterior.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo: Andrei, 2003.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.


 51 - Kali bichromicum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 51 - Kali bichromicum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Kali phosphoricum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Kali phosphoricum.
DCB: 10380
Sinonímia Homeopática: Kalium phosphoricum; Monokalii phosphas; Potassae phosphas e Potassii phosphas.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Kali phosphoricum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Kali phosphoricum 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio do esgotamento físico e mental.
Manifestações clínicas: cansaço físico e mental que pode ser acompanhado por cefaleias, distúrbios de memória e insônia.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo: Andrei, 2003.


 52 - Kali phosphoricum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 52 - Kali phosphoricum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Lachesis mutus 30 CH 
 

Nome Homeopático: Lachesis.
DCB: 10387
Sinonímia Homeopática: Lachesis muta muta; Bothrops surucucu; Lachesis muta; Lachesis muta muta; Crotalus mutus e Trigonocephalus lachesis.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Lachesis mutus 29 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Lachesis mutus 30 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicação: auxiliar no tratamento dos sintomas da menopausa.
Manifestações clínicas: ondas de calor que podem estar acompanhadas de rubor facial e palpitações.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 53 - Lachesis mutus 30 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 53 - Lachesis mutus 30 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Ledum palustre 5 CH 
 

Nome Homeopático: Ledum palustre.
DCB: 10393
Sinonímia Homeopática: Ledum; Ledum decumbens; Ledum dilatatum; Ledum graveolens e Ledum tomentosum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Ledum 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Ledum 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de picadas de insetos e traumatismos oculares.
Manifestações clínicas: dor contusa acompanhada de equimoses principalmente na área dos olhos.
Posologia sugerida: cinco gotas, cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. 9. ed. São Paulo: Robe Editorial, 1997.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 23. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Médica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, J.A. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 3. ed. São Paulo: Organon, 2017.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. Andrei Editora. 2000.


 54 - Ledum palustre 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 54 - Ledum palustre 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Lemna minor 5 CH 
 

Nome Homeopático: Lemna minor.
DCB:10394
Sinonímia Homeopática: Lemna mínima; Lemna minuta; Lemna ovata; Lemna palustres e Lemna vulgaris.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir de Lemna minor 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir de Lemna minor 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas de rinite.
Manifestações clínicas: rinite com coriza mucopurulenta com formação de crostas.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.


 55 - Lemna minor 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 55 - Lemna minor 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Lobelia inflata 5 CH 
 

Nome Homeopático: Lobelia inflata.
DCB: 10399
Sinonímia Homeopática: Lobelia e Rapuntium inflatum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir de Lobelia inflata 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir de Lobelia inflata 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas da bronquite asmática previamente diagnosticada.
Manifestações clínicas: falta de ar com tosse e dificuldade de expectoração.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 56 - Lobelia inflata 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 56 - Lobelia inflata 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Lycopodium clavatum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Lycopodium.
DCB: 10402
Sinonímia Homeopática: Lycopodium piliferum; Muscus squamosus e Muscus terrestris clavatus.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Lycopodium 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Lycopodium 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas das disfunções gastrintestinais.
Manifestações clínicas: dispepsia flatulenta com tendência a prisão de ventre. Sensação de peso no estômago.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo:
Andrei, 2003.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo:Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico Homeopata. São Paulo: Andrei, 1987.


 57 - Lycopodium clavatum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 57 - Lycopodium clavatum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Magnesia phosphorica 6 CH 
 

Nome Homeopático: Magnesia phosphorica.
DCB: 10407
Sinonímia Homeopática: Magnesii phosphas; Phosphas magnesiae e Magnesium phosphoricum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Magnesia phosphorica 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir da Magnesia phosphorica 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das cólicas e das dores nevrálgicas.
Manifestações clínicas: cólicas abdominais, principalmente em crianças, que as obrigam a se dobrar. Nevralgias, dores intensas espasmódicas ou em cãibras, que aparecem e desaparecem bruscamente.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, quatro vezes ao dia. Para os lactentes, 2 gotas ou 1 tablete até quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1982.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo:
Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico Homeopata. São Paulo: Andrei, 1987.


 58 - Magnesia phosphorica 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 58 - Magnesia phosphorica 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Matricaria chamomilla 6 CH 
 

Nome Homeopático: Chamomilla.
DCB: 10238
Sinonímia Homeopática: Chamomilla; Chamomilla vulgaris; Anthemis vulgaris; Chamomilla officinalis e Matricaria suaveolens.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Chamomilla 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Chamomilla 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas relacionados à dentição e cólicas abdominais.
Manifestação clínica: dores no momento da eclosão dentária. Síndromes febris e cólicas concomitantes à dentição; hipersensibilidade à dor.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, quatro vezes ao dia. Para os lactentes, 2 gotas ou 1 tablete até quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic prescribing pocket companion Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo: Andrei, 2003.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 59 - Matricaria chamomilla 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 59 - Matricaria chamomilla 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Matricaria chamomilla 12 CH 
 

Nome Homeopático: Chamomilla.
DCB: 10238
Sinonímia Homeopática: Chamomilla; Chamomilla vulgaris; Anthemis vulgaris; Chamomilla officinalis e Matricaria suaveolens.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Chamomilla 11 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Chamomilla 12 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento da irritabilidade.
Manifestação clínica: comportamento agitado, colérico e hipersensibilidade geral.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
KAYNE, S. B. e KAYNE, L. R. Homeopathic prescribing pocket companion Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. São Paulo: Andrei, 2003.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 60 - Matricaria chamomilla 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 60 - Matricaria chamomilla 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Mercurius solubilis 6 CH 
 

Nome Homeopático: Mercurius solubilis.
DCB: 10425
Sinonímia Homeopática: Mercurius hahnemannii e Hydrargyrum oxydum nigrum hahnemanni.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Mercurius solubilis 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir do Mercurius solubilis 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das dores de garganta.
Manifestações clínicas: vermelhidão da faringe e das amígdalas com dor ao engolir que se irradia para os ouvidos. Salivação abundante e mau hálito.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 61 - Mercurius solubilis 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 61 - Mercurius solubilis 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Myristica sebifera 5 CH 
 

Nome Homeopático: Myristica sebifera.
DCB: 10434
Sinonímia Homeopática: Myristica cordifolia; Myristica virola e Virola sebifera.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Myristica sebifera 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir da Myristica sebifera 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de abscessos cutâneos superficiais (furúnculos e panarícios).
Manifestações clínicas: inflamação da pele e dores nas unhas com inchaço nas falanges.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 62 - Myristica sebifera 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 62 - Myristica sebifera 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Natrum muriaticum 12 CH 
 

Nome Homeopático: Natrum muriaticum.
DCB: 10441
Sinonímia Homeopática: Natrium muriaticum; Natrium muriaticum marinum; Natrum chloratum; Natrii chloridum e Chloruretum sodicum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Natrum muriaticum 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir do Natrum muriaticum 12 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das rinofaringites recidivantes.
Manifestações clínicas: espirros, coriza aquosa e lacrimejamento abundantes que aparecem bruscamente em pacientes emagrecidos.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 63 - Natrum muriaticum 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 63 - Natrum muriaticum 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Nux vomica 6 CH 
 

Nome Homeopático: Nux vomica.
DCB: 10451
Sinonímia Homeopática: Strychnos nux vômica; Strychnos colubrina e Colubrina.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Nux vomica 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Nux vomica 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas das disfunções gastrintestinais.
Manifestações clínicas: dispepsia por excesso alimentar ou de bebidas. Sonolência pós-prandial. Tendência a constipação intestinal.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 64 - Nux vomica 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 64 - Nux vomica 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Passiflora incarnata 5 CH 
 

Nome Homeopático: Passiflora incarnata.
DCB: 10466
Sinonímia Homeopática: Granadilla incarnata e Passiflora rigidula.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Passiflora incarnata 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Passiflora incarnata 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas dos distúrbios do sono e ansiedade leve.
Manifestações clínicas: inquietação, agitação e ausência de sono.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.


 65 - Passiflora incarnata 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 65 - Passiflora incarnata 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Petroleum 6 CH 
 

Nome Homeopático: Petroleum.
DCB: 10468
Sinonímia Homeopática: Bitumen liquidum; Naphta montana; Oleum minerale; Oleum petrae e Oleum terrae.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir do Petroleum 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Petroleum 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das afecções da pele.
Manifestações clínicas: pele seca com rachaduras e fissuras nas extremidades que pioram com o frio.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 66 - Petroleum 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 66 - Petroleum 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Petroleum 12 CH 
 

Nome Homeopático: Petroleum.
DCB: 10468
Sinonímia Homeopática: Bitumen liquidum; Naphta montana; Oleum minerale; Oleum petrae e Oleum terrae.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir do Petroleum 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Petroleum 12 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das vertigens.
Manifestações clínicas: tontura e enjoo por movimento passivo (barco, carro, trem) ou ao levantar-se.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 67 - Petroleum 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 67 - Petroleum 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Phosphorus 12 CH 
 

Nome Homeopático: Phosphorus.
DCB: 10471
Sinonímia Homeopática: Phosphorus albus; Phosphorus albus solidum e Phosphorus ordinarius.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir do Phosphorus 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir do Phosphorus 12 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das disfunções hepáticas.
Manifestações clínicas: região hepática sensível ao toque, acompanhada de astenia e ansiedade.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, STEVEN B.; KAYNE, LEE R. Homeopathic prescribing pocket companion. Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática: alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. – São Paulo: Andrei ed., 1984.


 68 - Phosphorus 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 68 - Phosphorus 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Phytolacca decandra 6 CH 
 

Nome Homeopático: Phytolacca decandra.
DCB: 10473
Sinonímia Homeopática: Phytolacca; Phytolacca americana e Phytolacca vulgaris.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir da Phytolacca 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Phytolacca 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das dores de garganta.
Manifestações clínicas: faringe eritematosa acompanhada de secura e dor na garganta que irradia para os ouvidos. Gânglios cervicais inflamados.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, STEVEN B.; KAYNE, LEE R. Homeopathic prescribing pocket companion Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 69 - Phytolacca decandra 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 69 - Phytolacca decandra 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Plantago major 6 CH 
 

Nome Homeopático: Plantago major.
DCB: 10477
Sinonímia Homeopática: Plantago; Plantago dentate; Plantago exaltata; Plantago filiformis e Plantago humifusa.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Plantago major 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Plantago major 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio de odontalgias.
Manifestações clínicas: nevralgias dentárias intoleráveis; dentes sensíveis ao menor toque ao menor contato quente ou frio.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 70 - Plantago major 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 70 - Plantago major 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Podophyllum peltatum 5 CH 
 

Nome Homeopático: Podophyllum peltatum.
DCB: 10485
Sinonímia Homeopática: Podophyllum; Anapodophyllum peltatum; Podophyllum callicarpum e Podophyllum montanum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Podophyllum 4 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Podophyllum 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento das diarréias.
Manifestações clínicas: diarreia abundante, aquosa, irritante e que causa esgotamento. Distensão abdominal.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, STEVEN B.; KAYNE, LEE R. Homeopathic prescribing pocket companion Primeira Edição. London: Pharmaceutical Press, 2007.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 71 - Podophyllum peltatum 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 71 - Podophyllum peltatum 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Pulsatilla 6 CH 
 

Nome Homeopático: Pulsatilla.
DCB: 10493
Sinonímia Homeopática: Anemone pratensis; Pulsatilla nigricans; Pulsatilla rubra; Pulsatilla pratensis e Pulsatilla vulgaris.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Pulsatilla 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Pulsatilla 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de rinofaringites.
Manifestações clínicas: coriza persistente, inflamação das mucosas com secreção amarelada não irritante.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo:
Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.

VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 72 - Pulsatilla 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 72 - Pulsatilla 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Pulsatilla 12 CH 
 

Nome Homeopático: Pulsatilla.
DCB: 10493
Sinonímia Homeopática: Anemone pratensis; Pulsatilla nigricans; Pulsatilla rubra; Pulsatilla pratensis e Pulsatilla vulgaris.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Pulsatilla 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Pulsatilla 12 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da tensão pré-menstrual.
Manifestações clínicas: síndrome pré-menstrual com seios doloridos, desconforto pélvico e alteração do humor.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de Matière Médicale Homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.


 73 - Pulsatilla 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 73 - Pulsatilla 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Rhus toxicodendron 6 CH 
 

Nome Homeopático: Rhus toxicodendron.
DCB: 10508
Sinonímia Homeopática: Rhus; Rhus humilis; Rhus pubescens; Rhus verrucosa e Toxicodendron vulgare.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Rhus toxicodendron 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir do Rhus toxicodendron 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas do reumatismo e processos inflamatórios.
Manifestações clínicas: dores reumáticas (dores articulares, dores ósseas, dores musculares, dores ciáticas e dores lombares) que melhoram pelo movimento. Entorses, luxações e tendinite.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática: alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 74 - Rhus toxicodendron 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 74 - Rhus toxicodendron 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Rumex crispus 6 CH 
 

Nome Homeopático: Rumex crispus.
DCB: 10514
Sinonímia Homeopática: Rumex; Lapathum crispum; Rheum crispum; Rumex elongatus e Rumex japonicus.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes, ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Rumex crispus 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir da Rumex crispus 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio da tosse.
Manifestações clínicas: tosse seca, intensa, por coceira na garganta.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS
BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Matéria Médica Homeopática. México: Porrua, 1979.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 75 - Rumex crispus 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 75 - Rumex crispus 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Ruta graveolens 6 CH 
 

Nome Homeopático: Ruta.
DCB: 10515
Sinonímia Homeopática: Ruta; Ruta altera; Ruta hortensis; Ruta officinalis e Ruta sylvestris.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Ruta graveolens 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Ruta graveolens 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio das dores articulares, ósseas e tendinomusculares.
Manifestações clínicas: processos inflamatórios e dolorosos decorrentes de traumatismos como dores musculares, entorses, luxações, contusões, tendinites, cistos sinoviais, lombalgias e dores reumáticas.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Matéria Médica Homeopática. México: Porrua, 1979.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 76 - Ruta graveolens 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 76 - Ruta graveolens 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Sabadilla 6 CH 
 

Nome Homeopático: Sabadilla.
DCB: 10516
Sinonímia Homeopática: Sabadilla officinarum; Sabadilla officinalis e Veratrum officinale.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Sabadilla 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Sabadilla 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da rinite.
Manifestações clínicas: coriza com espirros espasmódicos e sensação de ardência na mucosa.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Matéria Médica Homeopática. México: Porrua, 1979.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 77 - Sabadilla 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 77 - Sabadilla 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Sambucus nigra 6 CH 
 

Nome Homeopático: Sambucus.
DCB: 10522
Sinonímia Homeopática: Sambucus; Sambucus vulgaris; Sambucus floribunda e Sambucus florida.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Sambucus nigra 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Sambucus nigra 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio da tosse seca.
Manifestações clínicas: tosse espasmódica e sufocante acompanhada de obstrução nasal e transpiração intensa.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Matéria Médica Homeopática. México: Porrua, 1979.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 78 - Sambucus nigra 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 78 - Sambucus nigra 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Sanguinaria canadensis 6 CH 
 

Nome Homeopático: Sanguinaria.
DCB: 10523
Sinonímia Homeopática: Sanguinaria; Sanguinaria grandiflora; Sanguinaria minor e Sanguinaria virginiana.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Sanguinaria canadensis 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Sanguinaria canadensis 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da enxaqueca e cefaleias.
Manifestações clínicas: dor de cabeça congestiva e latejante da nuca que irradia para o olho direito.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Matéria Médica Homeopática. México: Porrua, 1979.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 79 - Sanguinaria canadensis 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 79 - Sanguinaria canadensis 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Sepia succus 12 CH 
 

Nome Homeopático: Sepia.
DCB: 10536
Sinonímia Homeopática: Sepia; Sepia officinalis; Sepia octopus; Sepia vera e Succus sepia.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Sepia succus 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Sepia succus 12 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas dos distúrbios da menstruação e menopausa.
Manifestações clínicas: irritação excessiva e intensas cólicas antes ou durante a menstruação com sensação de peso e pressão para baixo no útero. Na menopausa, ondas de calor que sobem da bacia à cabeça seguidas de extrema fraqueza.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, J.A. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 3. ed. São Paulo: Organon, 2017.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Matéria Médica Homeopática. México: Porrua, 1979.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.


 80 - Sepia succus 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 80 - Sepia succus 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Silicea 12 CH 
 

Nome Homeopático: Silicea.
DCB: 10537
Sinonímia Homeopática: Silicea pura; Silicea terra e Terra silicea.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes, ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar, com álcool etílico a 30% (v/v), a partir da Silicea 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Silicea 12 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da constipação (prisão de ventre).
Manifestações clínicas: constipação intestinal do tipo atônica com fezes duras que saem e retrocedem.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, J.A. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 3. ed. São Paulo: Organon, 2017.
TETAU, M. Matéria Médica Homeopática Clínica e Associações Bioterápicas. Andrei Editora. 2003.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.


 81 - Silicea 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 81 - Silicea 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Spongia tosta 6 CH 
 

Nome Homeopático: Spongia tosta.
DCB: 10544
Sinonímia Homeopática: Euspongia officinalis; Carbo spongiae; Hippospongia equina; Spongia officinalis e Spongia marina tosta.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Spongia tosta 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Spongia tosta 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio da tosse.
Manifestações clínicas: tosse seca, ruidosa e sibilante que melhora com bebidas quentes. Rouquidão. Sensação de secura e ardor na mucosa das vias aéreas.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L. Manual de Terapêutica Homeopática. São Paulo: Organon, 2004.


 82 - Spongia tosta 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 82 - Spongia tosta 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Staphysagria 6 CH 
 

Nome Homeopático: Staphysagria.
DCB: 10547
Sinonímia Homeopática: Delphinium staphisagria; Dephinium platani folio; Staphys agria e Staphysagria macrocarpa.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Staphysagria 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Staphysagria 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento do terçol ou calázio.
Manifestações clínicas: prurido e inflamação das pálpebras.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, três vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 23. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática- alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratamento Homeopático das Enfermidades Agudas. 2 ed. São Paulo: Organon, 2017.


 83 - Staphysagria 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 83 - Staphysagria 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Staphysagria 30 CH 
 

Nome Homeopático: Staphysagria.
DCB: 10547
Sinonímia Homeopática: Delphinium staphisagria; Dephinium platani folio; Staphys agria e Staphysagria macrocarpa.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Staphysagria 29 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Staphysagria 30 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas dos distúrbios do sono.
Manifestações clínicas: insônia devido a indignação contida, contrariedade ou vexame.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, antes de dormir. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 23. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
LATHOUD, J.A. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 3. ed. São Paulo: Organon, 2017.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática- alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratamento Homeopático das Enfermidades Agudas. 2 ed. São Paulo: Organon, 2017.


 84 - Staphysagria 30 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 84 - Staphysagria 30 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Sticta pulmonaria 6 CH 
 

Nome Homeopático: Sticta pulmonaria.
DCB: 10550
Sinonímia Homeopática: Lobaria pulmonaria; Aceris saccharini; Lichen pulmonarius; Muscus pulmonarius e Pulmonaria reticulata.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir da Sticta pulmonaria 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Sticta pulmonaria 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas da rinite.
Manifestação clínica: sensação de obstrução e peso na base do nariz, com constante desejo de assoar, sem nenhum resultado. Tosse seca irritante e incessante.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 23. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.
VIJNOVSKY, B. Tratamento Homeopático das Enfermidades Agudas. 2 ed. São Paulo: Organon, 2017.


 85 - Sticta pulmonaria 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 85 - Sticta pulmonaria 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Sulphur 6 CH 
 

Nome Homeopático: Sulfur.
DCB: 10557
Sinonímia Homeopática: Sulfur; Sulphur sublimatum; Sulphur sublimatum lotum; Sulphur lotum e Sulphur depuratum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Sulphur 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Sulphur 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de erupções da pele com prurido.
Manifestação clínica: inflamação da pele com vermelhidão, ardência, formigamento sensação de calor, com prurido e sensação de ardor depois de coçar.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido uma vez ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratamento Homeopático das Enfermidades Agudas. 2 ed. São Paulo: Organon, 2017.


 86 - Sulphur 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 86 - Sulphur 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Symphytum officinale 5 CH 
 

Nome Homeopático: Symphytum.
DCB: 10561
Sinonímia Homeopática: Consolida major; Symphytum álbum; Symphytum ambiguum; Symphytum majus e Symphytum consolida.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir do Symphytum 4 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Symphytum 5 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de traumatismos.
Manifestações clínicas: dores causadas por traumatismo dos ossos, periósteo e globo ocular, com retardo na consolidação das fraturas.
Posologia sugerida: cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.


 87 - Symphytum officinale 5 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 87 - Symphytum officinale 5 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Thuya occidentalis 12 CH 
 

Nome Homeopático: Thuya.
DCB: 10574
Sinonímia Homeopática: Thuja; Thuya e Arbor vitae.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir da Thuya occidentalis 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir da Thuya occidentalis 12 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento e remoção das verrugas vulgares.
Manifestações clínicas: verrugas grandes ou pequenas, pedunculadas ou chatas.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, uma vez ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.


 88 - Thuya occidentalis 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 88 - Thuya occidentalis 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Valeriana officinalis 6 CH 
 

Nome Homeopático: Valeriana.
DCB: 10586
Sinonímia Homeopática: Valeriana; Valeriana major; Valeriana sambucifolia; Valeriana sylvestris e Valeriana vulgaris.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em etanol a 30% (v/v) a partir da Valeriana 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir da Valeriana 6 CH conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas da insônia.
Manifestações clínicas: dificuldade de iniciar o sono com agitação física, ou espasmos musculares ou com sensação de frio generalizada. Sono alterado com inquietude e sonhos. Grande afluxo de pensamentos.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido, antes de dormir. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 89 - Valeriana officinalis 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 89 - Valeriana officinalis 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Veratrum album 6 CH 
 

Nome Homeopático: Veratrum.
DCB: 10588
Sinonímia Homeopática: Veratrum; Helleborus albus; Melanthium album e Veratrum bosniacum.
Formas farmacêuticas: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Veratrum album 5 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes ou comprimidos
Preparar a partir do Veratrum album 6 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento da diarreia aguda e passageira.
Manifestações clínicas: diarreia aquosa e abundante acompanhada de intensa dor abdominal, prostração, suores frios ou face pálida e fria. Pode ser acompanhada de vômitos.
Posologia sugerida: cinco gotas, ou cinco glóbulos, ou três tabletes, ou um comprimido quatro vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 90 - Veratrum album 6 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 90 - Veratrum album 6 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Zincum metallicum 12 CH 
 

Nome Homeopático: Zincum.
DCB: 10602
Sinonímia Homeopática: Zincum; Stannum indicum e Speltrum.
Forma farmacêutica: gotas, glóbulos, tabletes ou comprimidos.
Orientações para o preparo:
Gotas.
Preparar em álcool etílico a 30% (v/v) a partir do Zincum metallicum 11 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Glóbulos, tabletes e comprimidos
Preparar a partir do Zincum metallicum 12 CH, conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor.
Quantidade para dispensação: gotas (15 mL); glóbulos (12 g); tabletes (20 g) e comprimidos (20 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas do esgotamento nervoso e fadiga.
Manifestações clínicas: dificuldades escolares, estafa intelectual com distúrbios da memória e agitação contínua dos membros inferiores.
Posologia sugerida: tomar cinco gotas ou cinco glóbulos ou três tabletes ou um comprimido duas vezes ao dia. Conforme a melhora dos sintomas, espaçar as tomadas.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, O. E. Materia Médica with Repertory & 50 Homoeopathic Indian Drugs. New Delhi: Jain, Repr. 1986.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 91 - Zincum metallicum 12 CH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 91 - Zincum metallicum 12 CH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
 

USO EXTERNO:

  Aesculus hippocastanum TM 
 

Nome Homeopático: Aesculus.
DCB: 10116
Sinonímia Homeopática: Aesculus; Castanha equina e Hippocastanum vulgare.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada, gel ou supositório.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopéia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v) e nos supositórios na proporção de 5%.
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote opacos com 30 g), supositório (embalagem com 6 unidades).
Indicações: anti-hemorróidas, tratamento para fissuras anais.
Manifestações clínicas: hemorroidas com dores, ardência, prurido, pontadas e sensação de ferimento.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia. Aplicar o supositório uma vez ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.


 92 - Aesculus hippocastanum TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 92 - Aesculus hippocastanum TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Apis mellifica TM 
 

Nome Homeopático: Apis mellifica.
DCB: 10148
Sinonímia Homeopática: Apis e Apis melífera.
Formas farmacêuticas para dispensação: creme, pomada ou gel.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopéia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote opacos com 30 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas de edema e inflamações agudas da pele.
Manifestações clínicas: processos alérgicos ou inflamatórios da pele decorrentes de picadas de insetos ou outros.
Posologia sugerida: aplicar creme, pomada ou gel três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 93 - Apis mellifica TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 93 - Apis mellifica TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Arnica montana TM 
 

Nome Homeopático: Arnica.
DCB: 10159
Sinonímia Homeopática: Arnica; Arnica alpina; Chrysanthemum latifolum e Doronicum montanum.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada ou gel.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote, opacos com 30 g).
Indicações: auxiliar no tratamento de contusões e dores musculares.
Manifestações clínicas: lesões traumáticas não dilaceradas.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Não usar com a pele escoriada.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 94 - Arnica montana TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 94 - Arnica montana TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Atropa belladonna 1DH 
 

Nome Homeopático: Belladonna.
DCB: 10781
Sinonímia Homeopática: Belladonna; Atropa acuminata; Solanum lethale; Atropa lethalis; Atropa lutescens e Belladonna baccifera.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada ou gel.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote opacos com 30 g).
Indicação: auxiliar no tratamento dos sintomas das inflamações agudas.
Manifestações clínicas: pele vermelha, brilhante, quente, com calor radiante. Edemas, furúnculos e abscessos.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Não usar com a pele escoriada.

AUTORES CONSULTADOS

CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
TÉTAU, M. Matéria Médica Homeopática - alvos específicos. São Paulo: Andrei, 2000.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1. São Paulo: Organon, 2003.


 95 - Atropa belladonna 1DH - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 95 - Atropa belladonna 1DH - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Calendula officinalis TM 
 

Nome Homeopático: Calendula.
DCB: 10220
Sinonímia Homeopática: Calendula; Caltha officinallis e Caltha vulgaris.
Forma farmacêutica para dispensação: TM, creme, pomada, gel e óvulo.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor. Nos casos de creme, pomada e gel, incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (v/p) ou (v/v) e nos óvulos na proporção de 5% (v/p).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote, opacos com 30 g), óvulo (embalagem com 6 unidades) e tintura (frasco de 30 ml).
Indicações: auxiliar no tratamento de afecções da pele.
Manifestações clínicas: feridas de pele, abertas ou não com tendência à supuração e dor. Antisséptico e hemostático em odontologia.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia. Aplicar o óvulo uma vez ao dia. Nos enxaguatórios bucais, diluir a tintura-mãe em água na proporção de 10% (v/v) e usar três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 96 - Calendula officinalis TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 96 - Calendula officinalis TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Cyrtopodium punctatum TM 
 

Nome Homeopático: Cyrtopodium punctatum.
DCB: 10287
Sinonímia Homeopática: Cyrtopodium speciosissimum.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada ou gel.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote, opacos com 30 g).
Indicações: auxiliar no alívio das dores de abscessos e furúnculos.
Manifestações clínicas: promove a supuração de abscessos e furúnculos.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.


 97 - Cyrtopodium punctatum TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 97 - Cyrtopodium punctatum TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Hamamelis virginiana TM 
 

Nome Homeopático: Hamamelis.
DCB: 10342
Sinonímia Homeopática: Hamamelis; Hamamelis virginica; Hamamelis androgyna; Hamamelis dioica e Trilopus virginica.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada, gel, supositório e óvulo.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v) e nos supositórios e óvulos na proporção de 5% (v/p).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote, opacos com 30 g), supositório ou óvulo (embalagem com 6 unidades).
Indicações: auxiliar no tratamento de hemorróidas e varizes.
Manifestações clínicas: hemorroidas dolorosas que sangram facilmente. Varizes dos membros inferiores com veias inchadas e sensíveis ao toque.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia. Aplicar o supositório ou óvulo uma vez ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Medica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.


 98 - Hamamelis virginiana TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 98 - Hamamelis virginiana TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Hydrastis canadensis TM 
 

Nome Homeopático: Hydrastis.
DCB: 10355
Sinonímia Homeopática: Hydrastis; Hydrastis trifólia; Warnera canadenses e Warnera tinctora.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, gel e óvulo.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor. Nos casos de creme e gel, incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (v/p) ou (v/v) e nos óvulos na proporção de 5% (v/p).
Quantidade sugerida para dispensação: creme ou gel (bisnaga com aplicador vaginal, opacos com 30 g), óvulo (embalagem com 6 unidades).
Indicações: auxiliar no tratamento das afecções ginecológicas.
Manifestações clínicas: secreção vaginal amarelada, viscosa e espessa que acompanha prurido vulvar.
Posologia sugerida: fazer a aplicação vaginal a noite.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
DUFILHO, R. Fichas de Matéria Médica Homeopática. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 99 - Hydrastis canadensis TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 99 - Hydrastis canadensis TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Lappa major TM 
 

Nome Homeopático: Lappa major.
DCB: 10389
Sinonímia Homeopática: Arctium lappa; Bardana; Arctium majus; Arctium bardana; Lappa minor e Lappa tomentosa.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada ou gel.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote opacos com 30 g).
Indicações: auxiliar no tratamento dos sintomas das afecções inflamatórias de pele.
Manifestações clínicas: erupções na cabeça, rosto, pescoço, extremidades. Inflamações na pele tipo acne, terçol e furúnculo.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 100 - Lappa major TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 100 - Lappa major TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Ledum palustre TM 
 

Nome Homeopático: Ledum.
DCB: 10393
Sinonímia Homeopática: Ledum; Ledum decumbens; Ledum dilatatum; Ledum graveolens e Ledum tomentosum.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada ou gel.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote opacos com 30 g).
Indicações: auxiliar no alívio dos sintomas de picadas de insetos.
Manifestações clínicas: equimoses causadas por picadas de insetos, principalmente, mosquitos, abelhas e vespas. Mordidas ou ferimentos estreitos e profundos.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
LATHOUD, F. Estudos de Matéria Médica Homeopática. 2. ed. São Paulo: Organon, 2004.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 101 - Ledum palustre TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 101 - Ledum palustre TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Matricaria chamomilla TM 
 

Nome Homeopático: Chamomilla.
DCB: 10238
Sinonímia Homeopática: Chamomilla; Chamomilla vulgaris; Chrysanthemum chamomilla; Matricaria recutita e Anthemis vulgaris.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada ou gel.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote opacos com 30 g).
Indicações: auxiliar na eclosão dentária e nas afecções da pele.
Manifestações clínicas: sintomas incômodos da primeira dentição; assaduras e irritações da pele.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada, ou gel três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender, imediatamente, o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.


 102 - Matricaria chamomilla TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 102 - Matricaria chamomilla TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Paeonia officinalis TM 
 

Nome Homeopático: Paeonia officinalis.
DCB: 10461
Sinonímia Homeopática: Paeonia rosea; Paeonia pubens; Paeonia fulgens; Paeonia festa e Moutan officinalis.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada, gel ou supositório.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v) e nos supositórios na proporção de 5% (v/p).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote, opacos com 30 g), supositório (embalagem com 6 unidades).
Indicação: auxiliar no tratamento dos sintomas de hemorroidas.
Manifestações clínicas: congestão venosa hemorroidária dolorosa e fissuras anais.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia. Aplicar o supositório uma vez ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Précis de matière médicale homéopathique. Paris: Doin, 1985.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.


 103 - Paeonia officinalis TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 103 - Paeonia officinalis TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Ratanhia TM 
 

Nome Homeopático: Ratanhia.
DCB: 10498
Sinonímia Homeopática: Krameria triandra e Krameria canescens.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada, gel ou supositório.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v) e nos supositórios na proporção de 5% (v/p).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote opacos com 30 g), supositório (embalagem com 6 unidades).
Indicações: auxiliar no tratamento de fissuras anais e dos mamilos.
Manifestações clínicas: fissuras anais e hemorroidas com prurido e constrição que ardem após evacuação. Fissuras do mamilo durante a amamentação.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia. Aplicar o supositório uma vez ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.


 104 - Ratanhia TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 104 - Ratanhia TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Symphytum officinale TM 
 

Nome Homeopático: Symphytum.
DCB: 10561
Sinonímia Homeopática: Symphytum; Symphytum álbum; Symphytum consolida e Consolida major.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada ou gel.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote, opacos com 30 g), supositório (embalagem com 6 unidades).
Indicações: auxiliar em traumatismos, cicatrizante e anti-inflamatório.
Manifestações clínicas: dores consecutivas aos traumatismos dos ossos; atraso na consolidação das fraturas; feridas que atingem o periósteo.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Não usar com a pele escoriada. A TM não é indicada para uso oral.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. v. 2 . São Paulo: Robe Editorial, 2003.
CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21. ed. São Paulo: Livraria Teixeira, 1991.
DEMARQUE, D. et al. Farmacologia & Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Organon, 2009.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
VANNIER, L.; POIRIER, J. Matéria Médica Homeopática. México: Porrua, 1979.


 105 - Symphytum officinale TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 105 - Symphytum officinale TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
  Thuya occidentalis TM 
 

Nome Homeopático: Thuya.
DCB: 10574
Sinonímia Homeopática: Thuya; Thuja; Cupressus arbor vitae; Juniperus ericoides e Arbor vitae.
Forma farmacêutica para dispensação: creme, pomada, gel ou óvulo.
Orientações para o preparo:
Preparar o insumo ativo conforme Farmacopeia Homeopática Brasileira em vigor e incorporá-lo ao insumo inerte na proporção de 10% (p/v) ou (v/v) e nos óvulos na proporção de 5% (v/p).
Quantidade sugerida para dispensação: creme, pomada ou gel (bisnaga ou pote, opacos com 30 g), óvulo (embalagem com 6 unidades).
Indicações: auxiliar no tratamento de verrugas.
Manifestações clínicas: tratamento de verrugas em geral.
Posologia sugerida: aplicar o creme, pomada ou gel três vezes ao dia. Aplicar o óvulo uma vez ao dia.
Advertências gerais: suspender imediatamente o uso, se o paciente apresentar hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

AUTORES CONSULTADOS

BOERICKE, W. Manual de Matéria Médica Homeopática. São Paulo: Robe Editorial, 2003.
DUFILHO, R. Fichas de Materia Médica Homeopatica. O piano homeopático. São Paulo: Andrei, 2000.
HORVILLEUR, A. Vade-mécum da Prescrição em Homeopatia. São Paulo: Andrei, 2003.
KAYNE, S. B.; KAYNE, L. R. Homeopathic Prescribing. 2 ed. Glasgow: Saltire Books, 2017.
VIJNOVSKY, B. Tratado de Matéria Médica Homeopática. v. 1, 2 e 3. São Paulo: Organon, 2003.
VOISIN, H. Manual de Matéria Médica para o Clínico. 2. ed. São Paulo: Andrei, 1984.


 106 - Thuya occidentalis TM - Proposta de alteração, acréscimo ou exclusão: (Visível ao público)
 106 - Thuya occidentalis TM - Justificativa / Comentários: : (Visível ao público)
 Você deseja incluir algum outro dispositivo na proposta, além dos acréscimos eventualmente já sugeridos? (Visível ao público)
 Justificativa/comentário (inclusão): (Visível ao público)
 Você deseja acrescentar algum outro comentário? (Visível ao público)
Se desejar, digite abaixo seu comentário.
 De modo geral, qual sua opinião sobre o texto em discussão? *(Visível ao público)
Concordo
Concordo parcialmente
Discordo integralmente
Discordo da necessidade de regulamentação
  Levantamento de Impactos 
 A seção a seguir é composta por indicadores que têm o objetivo de prospectar os possíveis impactos da proposta de regulação. Cada indicador é composto por alguns descritores, os quais versam sobre possíveis cenários de impacto esperados, caso a proposta regulatória venha a ser implementada.

O respondente deve assinalar o descritor que melhor prospecta o cenário esperado para cada indicador, explicando o porquê da marcação no campo aberto logo abaixo. O respondente deve justificar a marcação efetuada caso haja dúvida entre duas opções possíveis.
 Na sua opinião, quais são os efeitos esperados da proposta contida nesta Consulta Pública? *(Visível ao público)
 Referências bibliográficas: (Visível ao público)
Se desejar, indique abaixo referências bibliográficas que subsidiem sua argumentação.
 Você deseja incluir um arquivo para subsidiar a sua contribuição? *(Visível ao público)
Em caso positivo, um campo para anexar o arquivo ao formulário será apresentado no final desta ficha.
Caso o arquivo a ser anexado tenha tamanho superior a 2MB, o encaminhe para o e-mail desta Consulta Pública.
Sim
Não
  Avaliação do formulário de Consulta Pública 
 Esta é a primeira vez que você participa de uma consulta da Anvisa? *(Visível ao público)
Sim
Não
 O que você achou deste formulário quanto a:
Ótimo
Bom
Razoável
Ruim
  Facilidade de utilização: *(Visível ao público)
  Clareza dos campos e das orientações de preenchimento: *(Visível ao público)
  Aspectos visuais: *(Visível ao público)
 Se desejar, indique abaixo eventuais críticas ou sugestões de melhoria para o formulário: (Visível ao público)
Gravar Gravar
Atenção: Ao gravar aguarde a tela de confirmação. Somente se aparecer a mensagem de confirmação seus dados terão sido gravados.
Clique aqui em caso de dúvidas relativas a este formulário.
Página 1 de 1
Logotipo FormSus